Morumbi em luto

Para aqueles que não conhecem a história de Dante e Virgílio, ela tinha tudo para se assemelhar com essa temporada do São Paulo. No entanto, os dois personagens passam pelo inferno, purgatório e finalmente chegam ao paraíso. Porém, no caso do Tricolor o paraíso estava bem perto, sete passos à frente que qualquer um, mas não conseguiram alcançar a salvação para essa temporada. Desse modo, mais uma vez o ano dos paulistas acabam no inferno, ou melhor, sem nenhum título.

ELIMINAÇÕES INESPERADAS

A princípio, o São Paulo começou bem o estadual. No entanto, o primeiro revés foi a eliminação desastrosa para o Mirassol nas quartas de final. Vale ressaltar, que o adversário foi feito dias anteriores a partida. Como resultado, o Tricolor Paulista estava no inferno pela primeira vez.

Advertisement

De antemão, mesmo com desconfianças, muitos apontavam o São Paulo como um time que “sabe jogar” libertadores e tinha chances de ir longe. Entretanto, o que se viu foi totalmente o oposto. O tricampeão das américas deixava a competição na fase de grupos. Após a derrota para o River Plate por 2 x 1, na Argentina. Ademais, mais um ciclo do inferno recaía sobre os jogadores e o técnico Fernando Diniz.

Ainda mais, a equipe disputaria a Copa Sul-americana e tinha tudo para ir longe. De antemão, seu adversário era o Lanús. O clube argentino estava há sete meses sem jogar e sem ritmo algum. Porém, apesar de tudo conspirar a favor do Tricolor, o time foi eliminado da competição. Em suma, a primeira partida na Argentina foi de 3 x 2 e a volta no Morumbi foi de 4 x 3 para os paulistas. Mais uma vez o São Paulo sofria em sua jornada.

COPA DO BRASIL E LIDERANÇA NO BRASILEIRÃO

Bem como, Dante e Virgílio, o São Paulo parecia escapar do inferno e estava muito próximo ao paraíso. O clube chegou as semifinais da Copa do Brasil e estava com sete pontos a frente do vice-líder Atlético-MG. Além disso, até a derrota de 1 x 0 perante o Corinthians, o Soberano estava há 17 partidas sem perder.

Dessa forma, o Clube da Fé estava apresentando um bom futebol, cheio de troca de passes e triangulações precisas. No entanto, o Grêmio de Renato Gaúcho foi crucial. Em primeiro lugar, no jogo em Porto Alegre, os visitantes dominaram e tiveram grandes oportunidades, mas na única que o Tricolor Gaúcho teve não foi desperdiçada. Diego Souza não perdoou e colocou para dentro. No encontro da volta, os donos da casa tiveram a posse de bola, mas não levaram perigo e o Imortal defendeu-se como pode e garantiu a vaga na final.

Na porta do paraíso, Fernando Diniz e seus comandados chegaram, mas deram um passo para trás com a eliminação perante o Grêmio. No entanto, havia um caminho para obter a salvação e tudo indicava que o elenco conseguiria conquistar seu objetivo.

2021: A DECADÊNCIA DO SÃO PAULO F.C.

A princípio, o ano mudou e todos aguardavam 2021. Porém, para o São Paulo era melhor ter ficado em 2020. Em suma, foram 34 dias, oito rodadas e duas demissões para enfim o Soberano conquistar uma vitória no ano. Em outras palavras, após a derrota (a sexta partida sem vencer) para o Atlético-Go, o novo presidente Júlio Casares demitiu Fernando Diniz e Raí pediu para ir junto.

A entrada para o paraíso foi perdida na 31ª rodada, contra o Internacional. Em resumo, foi um vexame e o Tricolor levou uma goleada de 5 x 1 no Morumbi. Mesmo assim, Diniz resistiu ao empate de 1 x 1 perante o Coritiba, também no Morumbi. Mas não suportou a derrota da próxima rodada.

SÃO PAULO: DO INFERNO AO PURGATÓRIO, DO PURGATÓRIO AO INFERNO

Por fim, o São Paulo Futebol Clube perdeu as chances de ser campeão ao empatar em casa por 1 x 1 contra o Palmeiras. Os jogadores não conseguiram passar do purgatório, como Dante e Virgílio assim fizeram. O Clube da Fé chegou bem próximo ao paraíso, muitos já diziam como certo sua salvação nessa temporada. No entanto, acabou pelo caminho por diversos pecados que cometeram, seja eles técnicos ou extracampos.

Ademais, o que restou nessa jordana do Tricolor é uma vaga para Libertadores 2021, seja de forma direta ou através da pré-libertadores. Portanto, para o São Paulo fica a seguinte lição: caso a equipe repita os pecados que vêm sempre cometendo, nunca chegarão ao paraíso de títulos e glórias.

Foto Destaque: Reprodução/Igor Amorim/saopaulofc.net

mm
Olá amigos! Um garoto do interior de Alagoas, na qual, sempre sonhou em levar informação ao povo. Dessa maneira, escolhi o jornalismo pra ser minha profissão e meu prazer diário. Uma vez que mostrar o que se é procurado, é muito gratificante e realizador.
Estou cursando a graduação de jornalismo na Universidade Federal de Alagoas. Já tenho muitas coisas em mente nesse universo de informações. Além do Futebol Na Veia, sou redator do portal Lab Dicas Jornalismo, na editoria cultural.
Considero que esportes, bons filmes, boas músicas e bons livros, fazem a vida ser melhor. Logo, não abdico desses quatro aspectos.

Related Post