Ajax 1970

O Amsterdamsche Football Club Ajax, mais conhecido como AFC Ajax, Ajax Amsterdam ou simplesmente Ajax, é um dos três grandes clubes que dominam o futebol neerlandês, juntamente com o Feyenoord e o PSV Eindhoven. Bem como é o clube que ganhou as três maiores competições europeias, juntamente com a Juventus e o Bayern Munique, além de possuir dois títulos na Copa Intercontinental. Desde a década de 1970, o clube é famoso pela sua escola de futebol. Sendo assim, para entender melhor a jornada desse lendário ícone holandês,  devemos primeiro analisar a sua história. Assim sendo, acompanhe na coluna, A Herança do Futebol Total, a trajetória e importância desse time para o atual futebol.

Fundação

Em 1894, quando o futebol começou a ser popular no mundo inteiro, uns amigos de Amsterdã fundaram um grupo de futebol, chamado “Union”. Neste mesmo ano, resolveram dar ao clube o nome de um herói da mitologia grega, Ájax, o Grande, e o clube foi rebatizado “Footh-Ball Club Ajax”. Só em 1900 o Ajax se tornou um time oficial, e na fundação no dia 18 de março de 1900, Floris Stempel foi o primeiro presidente.

Advertisement

Apelido

O apelido muito usado é Joden, que significa “Judeu” em holandês. Antes da Segunda Guerra Mundial, os clubes que jogavam contra Ajax passavam pelo bairro judeu em Amsterdã para chegar ao estádio do time. No fim do século XX, os torcedores do Amsterdamsche adotaram essa ‘imagem’ e frequentemente levavam bandeiras de Israel para os jogos.

Em janeiro de 2005, o presidente John Jaakke pediu aos torcedores para não mais levar as bandeiras e não mais se identificarem com os judeus:

“O paradoxo é que o Ajax é conhecido como um clube de judeus, mas os próprios judeus tem medo de ir para os jogos do time, em casa e fora.”

Nas partidas fora de casa, especialmente contra FC Utrecht, Feyenoord e ADO Den Haag, os torcedores adversários costumam cantar canções anti-semitas para provocar os torcedores do Godenzonen.

Show da torcida do Ajax antes do jogo contra o Dynamo Kiev.

Era de ouro do Ajax

A era de ouro foi dos anos 70 para o Ajax. A equipe tinha grandes jogadores, como Johan CruijffPiet KeizerSjaak Swart e Johan Neeskens. Em 1971, 1972 e 1973 o clube foi campeão da Europa, e os jogadores se tornaram os mais importantes na seleção holandesa que mostrou um futebol de grande nível na Copa do Mundo FIFA de 1974, na Alemanha.

O conhecido como a Laranja Mecânica realmente era em grande parte o Ajax dos anos 70. Em 1972 e 1973, o time também ganhou a Taça dos Campeões da Europa, e em 1972, foi Campeão Intercontinental contra o  Independiente. Em 1971 e 1973, o grupo se recusou a participar da Copa Intercontinental.

Esquadrão Imortal – Ajax 1970-1973

Em pé: Arie Haan, Blamkenburg, Wever, Suurbier, Stuy, Keizer, Ruud Krol, Schilcher, A. Muhren, Neeskens e Hulshoff. Agachados: Swart, Rep, Kovacs (treinador), Haarns (assistente), Kleton, Mulder, Johan Cruyff e G. Muhren.

“O embrião do Carrossel Holandês”

Após o domínio do Real Madrid na segunda metade da década de 50 e alguns sinais de brilho de diferentes esquadras nos anos 60, a Europa foi surpreendida em meados de 70 por um time inovador que mudaria para sempre o futebol: o Ajax. Sobretudo, porque a equipe holandesa conquistou três títulos da Liga dos Campeões da UEFA de maneira consecutiva e apresentou o Futebol Total, onde nenhum jogador tinha posição fixa, atordoando os adversários com um verdadeiro carrossel.

Aliás, tudo isso foi obra de Rinus Michels, um dos maiores técnicos de todos os tempos. Seu “filhote” rendeu diversos títulos, fama em todo o mundo e a benção do futebol arte. Ele levou o método à seleção da Holanda que encantou o planeta na Copa de 1974. Mas que caiu diante dos alemães. Ainda assim, o time foi mais lembrado que a própria Alemanha. E o Ajax é recordado até hoje como um dos melhores clubes de todos os tempos (para muitos, o melhor!) e o embrião daquela brilhante seleção, que revelaria para o planeta um dos maiores gênios do esporte: Johan Cruyff.

O Futebol Total

O pioneiro do Futebol Total no Amsterdã, foi o treinador Jack Reynolds no início do século XX. Ou seja, treinador também do time por 33 anos, Reynolds comandou o então jogador Rinus Michels, que aprendeu com o seu tutor a arte da rotatividade em campo. Assim sendo, com grande bagagem, Michels decidiu já em seu primeiro ano no clube, em 1965, fazer seu time jogar naquele método. E deu certo. Juntamente com craques que somavam na equipe, como Cruyff, o Ajax venceu três Campeonatos Holandeses consecutivos de 1966 a 1968, além de uma Copa da Holanda, em 1967. Logo, com um futebol envolvente e inovador, aquele time seria o pontapé de um domínio que a Holanda há muito tempo não vislumbrava e, principalmente, a Europa.

Treinador Jack Reynolds

“Laranja Mecânica – O Carrossel Holandês”

A princípio, a  grande inovação do futebol mundial ocorreu no ano de 1974, quando a Seleção Holandesa foi batizada de Laranja Mecânica. Ainda mais porque foi com essa equipe que Michels iniciou o sistema de jogo que ficou conhecido como Carrossel Holandês, no qual os atletas atacavam e defendiam em bloco, sem guardar posição fixa em campo. Esse esquema espantou a todos pela insistente marcação no campo adversário (pressing – pressão) e as variações de funções apresentada pelos jogadores.

Bem como, Johan Cruyff era a principal estrela do time. Logo, a equipe chegou à final da Copa de 1974, mas perdeu para a Alemanha Ocidental por 2 a 1, em Munique.

Johan Cruyff: O maior jogador do Ajax FC!

Cruyff é o maior jogador da história do Ajax

Johan Cruyff não foi apenas o maior jogador de futebol da Holanda, como também um dos melhores e mais revolucionários do mundo. Em outras palavras, desfilando o futebol total holandês, em campo ele ficou marcado por ser o líder de uma geração única em seu país. Assim, com a camisa do Ajax FC, onde fez toda a sua categoria de base (de 1957 a 1964) ele estreou entre os profissionais em 1964, ficando em sua primeira passagem até a temporada de 1973. Voltou em 1981 e ficou até 1983.

Em resumo, foram 367 partidas, na qual ele anotou 270 gols. Além disso, o jogador conquistou todos os principais títulos do clube nas décadas de 1960 e 1970, como o tricampeonato da Europa League, a Champions League da época. Assim, também levantou ainda nove Campeonatos Holandês e seis Copas da Holanda.

O bom desempenho dentro das quatro linhas pelo clube holandês, ainda rendeu para ele três Bolas de Ouro, como melhor jogador da Europa, nas temporadas de 1971, 1973 e 1974. Após pendurar as chuteiras, Cruyff ainda assumiu o comando técnico da equipe entre os anos de 1985 até 1988.

Como resultado por toda a história do atacante, o Ajax FC acabou por aposentar a camisa de número 14, número escolhido por ele para atuar e que vestiu para as principais conquistas. Após o jogador, ninguém mais usou o número 14 no clube.

Destaques do time do Ajax

Johan Cruijff

O maior jogador holandês de todos os tempos começou a mostrar ao mundo seu talento ofensivo, tático e técnico no Ajax. Cruyff assombrou o mundo nas décadas de 60 e 70 com extrema habilidade, visão de jogo e muitos gols. Seu “jeito” conquistou os torcedores do time e também dos adversários. Sendo assim, sua presença no clube foi tão especial que após a sua saída em 1973, apenas em 1995 o clube voltaria a brilhar na Europa. Foi campeão da Holanda na Copa de 1974, é um ícone no país e no mundo como um dos gênios da história do futebol.

Hulshoff

Revelado pelo clube, Barry Hulshoff atuava na zaga, mas também tinha sua contribuição no meio de campo e no ataque, com o esquema do carrossel do time. Portanto, foi titular em todos os anos de glórias do Ajax, bem como na zaga da Holanda na Copa de 1974. Jogou mais de 10 anos no clube de Amsterdam.

Vasovic

Foi um dos grandes zagueiros de seu tempo e o primeiro jogador não-holandês a ser capitão da equipe na história. Coube ao iugoslavo levantar, em 1971, a taça do primeiro título europeu do Ajax. Vasovic brilhou, também, no Partizan e na seleção iugoslava. O jogador atuou de 1966 até 1971, e se aposentou dos gramados após a conquista europeia.

Blankenburg

Apesar de ser alemão, se encaixou muito bem no esquema do time e fez história de 1970 até 1975 no clube. Era peça fundamental na famosa linha de impedimento que o Ajax fazia constantemente e com perfeição para cima dos rivais.

Johan Neeskens

Um dos maiores nomes da Holanda, Neeskens era sinônimo de passe e desarmes precisos e muita velocidade. Foi estrela do time campeão de tudo e virou um dos grandes ídolos da torcida alvirrubra. Em 1974, partiu para o Barcelona para jogar ao lado de Cruyff. Também foi peça chave, para a Holanda na Copa de 1974, marcando, inclusive, um dos gols que eliminaram o Brasil naquele mundial.

Muhren

Gerrie Muhren foi outro notável jogador no meio de campo do carrossel alvirrubro. Marcava muitos gols e foi peça importante no tricampeonato europeu.

Rinus Michels (1965-1971) – Técnico: foi o mentor e “pai” do Carrossel Holandês de 1974, e do brilhante Amsterdam campeão de tudo no começo da década de 70. Afinal, com vasto conhecimento tático, Michels foi um dos maiores treinadores de todos os tempos, e inovou para sempre o modo de se montar uma equipe de futebol. É parte importante das maiores glórias do futebol holandês: o Ajax campeão de tudo, a Holanda encantadora de 1974, e a Holanda campeã da Eurocopa de 1988.

Stefan Kovács (1971-1973) – Técnico: quando a saída de Michels  em 1971, deixou os Holandeses preocupados com o destino do clube holandês, Kovács chegou para manter e aprimorar o que já era bom. Por exemplo, o treinador conquistou mais duas Ligas dos Campeões ao clube e outros cinco títulos, entre eles o primeiro Mundial interclubes. Após o sucesso no time holandês, assumiu a França, em 1973.

Champions 1971: Ajax conquista a Europa pela 1ª vez 

Iniciando a sua trajetória, o Ajax empatou no Marrocos, em 2 x 2, com o 17 Nëntori Tirana, mas venceu em casa, por 2 x 0. Na segunda fase, o adversário foi o Basel, da Suíça, e as vitórias, por 3 x 0 e 2 x 1, foram com tranquilidade. Em seguida, contra o Celtic, da Escócia, 3 x 0 na primeira partida, fundamental para a vaga. Na volta, derrota, por 1 x 0.

Nas semifinais o adversário foi o Atlético de Madrid, que venceu na ida por 1 x 0 na Espanha. Porém, o Godenzonen mostrou a sua força em casa e venceu por 3 x 0, contando com dois gols nos últimos minutos.

Na final, em Wembley, Inglaterra, 90 mil pessoas estiveram nas arquibancadas para assistir Ajax e Panathinaikos da Grécia. Van Dijk abriu o placar aos cinco minutos do primeiro tempo, e Haan fez o gol do título nos três minutos finais. Era a primeira Champions League dos Judeus.

Champions 1972: Contra a Internazionale de Milão, Ajax FC é bicampeão!

No ano seguinte, o Ajax buscava o bicampeonato. Por isso,  a equipe começou a sua caminhada contra o Dynamo Dresden, vencendo na ida, por 2 x 0, e empatando sem gols na volta. Já na segunda fase, 2 x 1, fora e 4 x 1, em casa contra o Marseille, da França. Nas quartas de finais, o adversário foi o Arsenal, da Inglaterra. Foram mais duas vitórias, 2 x 1, em casa e 1 x 0, fora.

Na semifinal, mais uma vez um duelo contra o Benfica. Swart anotou o gol da vitória na ida, jogando na Holanda. Esse tento garantiu o clube na final, já que a volta terminou sem gols. Na final, em Roterdã, os holandeses foram empurrados pela torcida contra a Internazionale de Mazzola. Com dois gols de Cruyff, a equipe conquistou a Europa pela segunda vez seguida.

Champions 1973: Para fechar o ciclo, Ajax é tricampeão europeu

Final histórica e tricampeonato para o Ajax

Após fazer história com o bicampeonato, a equipe holandesa queria mais, era a hora de buscar o tri. Dessa vez, o clube já iniciou na segunda fase, e bateu fácil o CSKA September Flag, da Bulgária, por 3 x 1, fora, e 3 x 0, em casa. Nas quartas de finais, atropelou o Bayer de Munique na ida por 4 x 0, e acabou perdendo, por 2 x 1, na Alemanha.

Na semifinal, veio o poderoso Real Madrid. Na ida, 2 x 1 na Holanda para os donos da casa. Já na volta, nova vitória, dessa vez por 1 x 0. Na final, o adversário foi a Juventus. O jogador Rep abriu o placar logo aos quatro minutos de jogo. Os italianos tentaram o empate de todas as maneiras, mas o Ajax suportou bem, garantindo o seu tricampeonato da Champions League.

RELEMBRANDO

Ajax vs Panathinaikos European Cup Final 1971

Ajax 3 vs Independiente 0 Copa Intercontinental 1972 FUTBOL RETRO TV

AJAX. AMSTERDAM – INTER. MILAN -1972 

Extra

Anos 1980

No fim dos anos 1980 o Ajax passou por uma época difícil. Em 1987, ganhou a Taça Europeia com jogadores como Frank Rijkaard Marco van Basten. Porém, dois anos depois, o time foi eliminado na Taça UEFA pelo Austria Wien.

Logo, por causa do comportamento dos torcedores durante e depois do jogo, em que o goleiro do Áustria Wien foi ferido, o clube holandês foi banido do jogos europeus por um ano. Assim como,  foi condenado por não ter pago impostos por vários anos, e a equipe quase se afundou.

Anos 1990

Depois disso, com um novo presidente e novo técnico o Amsterdam sobreviveu a esta época difícil e cresceu para chegar a ganhar a Taça da UEFA em 1992 e a Liga dos Campeões em 1995, juntos com esses títulos a Super Taça Europeia e a Copa Intercontinental todos em 1995, contra AC MilanReal Zaragoza e Grêmio.

O técnico Louis van Gaal tinha construído uma equipe de jovens talentos como Edgar DavidsEdwin van der SarClarence SeedorfMarc Overmars Patrick Kluivert, e jogadores experientes como Frank Rijkaard e Danny Blind. O craque da equipe foi o “10” Jari Litmanen.

Entretanto, em 2005, o argumento de que esta equipe se interessou em jogadores latino-americanos, sobretudo um  jogador de origem colombiana-italiana Manuel Morales e estava prestes a assinar, mas por problemas nas negociações, nenhum acordo foi alcançado com o clube colombiano Compensar FC.

Foto destaque: Divulgação/Tripleta

Barbara Lopes
Ser jornalista é estar comprometido com os fatos e a veracidade, agindo de forma imparcial e informativa.

Related Post