Gabriel Jesus Arsenal (Reprodução Manchester City)

Neste sábado (28), tivemos o início da terceira rodada da Premier League, com a partida entre Manchester City e Arsenal. Dessa forma, aconteceu no Estádio Etihad Stadium, em Manchester, Inglaterra.

A partida iniciou com uma surpresa na escalação do Arsenal. Arteta levou a campo um esquema com três zagueiros e um homem a menos no ataque, deixando somente Aubameyang. Defensivamente, os Gunners se postavam no 5-4-1, tentando impedir as subidas dos laterais e buscando congestionar o funil.

Advertisement
Linhas defensivas do Arsenal (Reprodução)
Linhas defensivas do Arsenal (Reprodução)

A grande dificuldade, do time de Londres, foi acertar os encaixes, e fechar os espaços, para que o City não pudesse progredir as jogadas ofensivas. Justamente, o primeiro gol saiu com uma jogada pelo lado de campo, com Gabriel Jesus recebendo o passe, triangulando com Bernardo Silva, e efetuando o cruzamento, para Gundogan abrir o placar.

Mas, o que mais chamou a atenção na jogada, foi a marcação falha da defesa. Haviam, oito jogadores de defesa, contra cinco, do ataque, dentro da área, no momento do cruzamento, mesmo assim, o jogador do City conseguiu cabecear sozinho.

O posicionamento ofensivo do City e do Arsenal

Com o seu conhecido 2-3-5, o Manchester City movimentava bem os seus jogadores, empurrava os laterais adversários para o fundo, para buscar profundidade, e contava com Rodri, junto dos laterais Walker e João Cancelo, fazendo a linha de três. Mais a frente, Gündogan e Bernardo Silva tinham o papel de fazer a circulação de bola, sempre invertendo quem deveria recuar para receber o passe.

Antes da expulsão, de Xhaka, o Arsenal se organizava ofensivamente no 3-4-1-2. Bukayo Saka avançava para o lado de Aubameyang, os laterais subiam, fazendo companhia para Rowe e Xhaka, e Odegaard virava o homem central, para armar as jogadas. A ideia era boa, surtiu efeito por alguns minutos, mas, os dois gols logo no início, e a expulsão do suíco, acabaram com qualquer oportunidade de reação.

Por outro lado, o City se organizava defensivamente no 4-3-3, variando para o 4-1-4-1, dependendo da movimentação do Arsenal. Assim, o time de Manchester, conseguia anular os espaços e as linhas de passe do time de Londres.

 O Arsenal, com um jogador a menos, desde os 35 minutos do 1º tempo, não conseguiu exercer qualquer reação. O que restou foi, baixar as linhas, se posicionar no 5-3-1, e buscar alguns contra-ataques esporádicos. Mas sem perigo ao gol de Éderson.

Após a derrota, para Tottenham, na primeira rodada, o Manchester City emplaca duas vitórias seguidas, com duas goleadas. O Arsenal, por outro lado, sofreu sua terceira derrota, e está na última colocação da Premier League.

Foto Destaque: Reprodução/Manchester City

Daniel Klabunde on Twitter
Daniel Klabunde
Formado em Análise de desempenho, na Universidade do Futebol. Co-autor do livro "As táticas dos campeões".

Cyber


Related Post