Delegação Brasileira nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 (Foto: Reprodução/Alê Cabral/CPB)

Com o início dos jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 nesta terça- feira 24, o Brasil é uma das maiores equipes em solo japonês. O anúncio foi feito pelo Comitê Brasileiro em uma live pelas redes sociais no último dia 6 de julho. Assim, o objetivo é ficar no top 10 no quadro de medalhas.

Na ocasião, foram divulgados cerca de 259 paradesportistas, incluindo atletas sem deficiência como guias, calheiros, goleiros e timoneiros. Além da comissão técnica, administrativa e médica, totalizando 435 pessoas. No entanto, o número já supera os Jogos do Rio-2016, que teve 286 atletas. Sendo assim, garantiu vaga em todos os esportes e ainda ficou no 8° lugar no ranking.

Advertisement

87 atletas estreiam nos jogos do Japão 2020

Ao mesmo tempo, dentre os 259 atletas presentes nos jogos, 37% fazem sua estreia, com 47 homens e 40 mulheres. Para os calouros, é difícil conter as emoções, segundo a jogadora de goalball Katia Silva, 26.

“A ficha demorou a cair quando eu soube da convocação. Mas estou muito feliz, porém ainda tenho algumas inseguranças por toda a situação que o mundo vive, também porque eu nunca competi internacionalmente. Imagino que vai ser uma experiência muito diferente, por conta do ambiente, língua e tudo mais.”, relatou a mineira estreante em Tóquio.

Convocação de deficientes de classe baixa

À princípio, 68 atletas são chamados de “classe baixa” por ter uma deficiência mais severa, o que representa 29,05% do total, segundo dados do departamento de Ciências do Esporte do Comitê. Contudo, a valorização e estímulo desses atletas à evento desportivos e na composição da delegação brasileira nos Jogos Parapan-2023, que também fazem parte do planejamento estratégico 2017-2024 do comitê.

Brasil domina os esportes

Entre as 22 modalidades dos jogos, o Brasil compete em 20. O esporte com maior número de atletas é o atletismo com 65 e 19 atletas-guia, seguido da natação com 35 atletas. Sob o mesmo ponto de vista, os Jogos de Tóquio também marcam a estreia do parabadminton e parataekwondo. Ambas começam na segunda metade dos Jogos. Ao mesmo tempo, no último dia dos jogos, 5 de setembro, o Brasil brigará por medalhas nas maratonas masculina e feminina.

Em conclusão, os Jogos de Tóquio ainda reservam a chance da conquista da centésima medalha dourada brasileira. Contando todas as edições, o país já subiu 87 vezes no lugar mais alto do pódio.

Foto destaque: Reprodução/Alê Cabral/CPB

Gustavo Costa

Cyber


Related Post