O surf brasileiro nas Olimpíadas

O Surf Brasileiro preparou um timaço para os Jogos Olímpicos de 2020 que acontecerá a partir do dia 23 no Japão. A famosa “Brazilian Storm”, mais conhecido como tempestade brasileira terá quatro representantes. Do lado feminino teremos, Tatiana Weston-Webb e Silvana Lima, já para a equipe masculina temos Ítalo Ferreira e Gabriel Medina.

Além disso, depois de cinco anos do anúncio que teríamos o surf como uma modalidade olímpica, no qual teremos 18 atletas competindo. 

Advertisement

Tatiana Weston-Webb no surf feminino

Nascida em Porto Alegre e filha de surfista, o pai inglês é mãe brasileira. Tatiana se mudou com a família para o Hawaii com apenas um mês de vida. Bem como, começou no esporte com apenas 8 anos de idade ao lado do seu irmão mais velho Troy Weston-Webb

Além disso, a gaúcha fez sua estreia na elite mundial do surf em 2015, quando foi eleita a melhor novata do ano. Bem como, sua primeira vitória aconteceu na etapa do ano seguinte onde derrotou a havaiana Malia Manuel e vencendo o Vans US Open of Surfing nos Estados Unidos.   

Sendo assim, no ano de 2018, a surfista começou a representar o Brasil em todas as competições. Nesta temporada a atleta venceu a 4º etapa do circuito mundial. Atualmente Weston-Webb está na 4ª colocação do mundial. 

Silvana Lima

Silvana Lima chega como a surfista mais experiente do Time Brasil nas Olimpíadas. Nascida em Paracuru, no estado do Ceará, com 36 anos, a atleta se mudou para o Rio de Janeiro em busca de melhores oportunidades. 

Do mesmo modo, sua estreia na elite do surf aconteceu em 2006, quando terminou a competição na 6ª colocação.

Além disso, a cearense foi vice-campeã mundial nos anos de 2008 e 2009. Após ela foi 4ª lugar em 2010 e 5ª em 2011. No ano de 2019, Silvana acabou a temporada em 12ª, classificando para os Jogos Olímpicos de Tóquio

Gabriel Medina no surf masculino

Natural de São Sebastião, litoral norte de São Paulo, Medina começou a surfar ainda na infância aos 8 anos de idade. A pessoa responsável por introduzir o surf em sua vida foi o seu padrasto Charles Rodrigues que deu a primeira prancha.  

Em seguida, o sebastianense foi evoluindo com o tempo e conquistou o seu primeiro torneio, o tradicional Rip Curl Grom Search na categoria sub-12, que aconteceu em Búzios no Rio de Janeiro. 

Além disso, a carreira de Medina começou a decolar. Isso porque, ele estreou na elite mundial com apenas 17 anos e já vencendo etapas como a da França e Estados Unidos. Logo depois, o ano de maior sucesso em sua carreira foi o de 2014, onde se consagrou o primeiro brasileiro campeão mundial do surf. Além disso, no ano de 2018, Gabriel foi bicampeão mundial. Atualmente Medina lidera o campeonato mundial. 

Ítalo Ferreira 

Ítalo é natural de Baía Formosa, litoral sul do Rio Grande do Norte. Tendo iniciado sua carreira atuando em campeonatos juniores, sendo campeão em 2011 aos 17 anos do Quiksilver Pro Rio Junior e do Mormaii Pro Junior.

Logo após, fez sua estreia na elite mundial em 2015, onde terminou em 7ª colocação na final da temporada, o que lhe rendeu o prêmio de melhor novato do campeonato. 

Porém foi no ano de 2019 que o potiguar se consagrou campeão mundial pela primeira vez. Ítalo venceu três etapas dos do campeonato e conseguiu o feito para sua carreira. Atualmente o surfista está na segunda colocação do mundial. 

Foto Destaque: Divulgação/WSL

mm
Sou a Vanessa Trois, recém graduada em jornalismo pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), apaixonada por escrita e esporte. Sempre gostei muito de esportes e entrei no jornalismo para focar em trabalhar na área de esportes.

Cyber


Related Post