É penta! Futebol de 5 do Brasil vence Argentina em Tóquio (Foto: Buda Mendes/Getty Images)

É penta! Futebol de 5 do Brasil vence Argentina em Tóquio

De antemão, neste sábado (4), o Brasil faturou pela quinta vez a medalha de ouro paralímpica. Sobretudo, a equipe brasileira ganhou de 1 x 0 dos argentinos, em jogo ocorrido no Parque de Esportes Aomi. Em suma, com este tento, o esporte mantém a hegemonia, sendo o único campeão da modalidade. Hegemonia do Brasil e
Renê Campos

É bronze! Renê conquista medalha inédita em Tóquio

Nesses Jogos Paralímpicos 2020 os atletas do Brasil brilharam, quebraram recordes e trouxeram medalhas inéditas. Uma delas é a de Renê Campos, que garantiu o bronze no remo. Contudo, o médico baiano foi bem e fez uma boa competição na competição solo. Desse modo, com essa conquista, o brasileiro é um dos atletas que fizeram
Mariana D'Andrea

Mariana D’Andrea conquista ouro inédito no Halterofilismo

Antes de mais nada, Mariana D’Andrea trouxe ao Brasil a primeira medalha de ouro na modalidade Halterofilismo. Assim, a brasileira fez uma grande prova e venceu a disputa ao levantar 137kg. A saber, nesta categoria os atletas que competem possuem deficiência nos membros inferiores. A prova A princípio, a brasileira fez um bom levantamento, atingindo
Petrúcio Ferreira

Petrúcio Ferreira bate recorde e brilha no Atletismo

Na sexta-feira (27), o consagrado Petrúcio Ferreira garantiu o ouro nos 100m rasos do atletismo, além de fazer história e bater o recorde paralímpico, com o tempo de 10s53. Na prova, o atleta estava determinado e entrou focado desde o início. Porém, não fez uma boa largada. Ainda sim, conseguiu manter um bom ritmo para
Rodolpho Riskalla teve que superar desafios para se manter em forma

Rodolpho Riskalla morou em trailer alugado por dois meses

A preparação para participar de uma Paralímpiadas por si só já é difícil, mas os obstáculos aumentam quando se está no meio de uma pandemia. Foi nesse cenário que o cavaleiro Rodolpho Riskalla, dono de medalha inédita no adestramento, teve que superar desafios para se manter em forma. Morando em Paris, Rodolpho foi informado que o
Yeltsin Jacques (Getty Images)

Yeltsin Jacques brilha e é ouro no Atletismo paralímpico

Em suma, o estádio Olímpico de Tóquio foi palco de uma das grandes vitórias do Atletismo brasileiro paraolímpico. Assim, na última noite 30/08, Yeltsin Jacques brilhou e trouxe para o Brasil o 100° ouro das paralimpíadas. O atleta disputou os 1500m T11, para deficientes visuais e bateu recorde mundial. Liderado pelo guia Antônio Carlos dos
Silvânia Costa é bicampeã paralímpica no salto em distância da classe T11 (Foto: Divulgação/Comitê Paralímpico Brasileiro)

Silvânia Costa conquista ouro paralímpico no salto em distância

Silvânia Costa é bicampeã paralímpica no salto em distância da classe T11. Na noite desta quinta-feira (27), a sul-mato-grossense conquistou a medalha dourada na penúltima tentativa. Na Rio-2016, ela já havia subido no lugar mais alto do pódio com a marca de 4.77m. Dessa vez, a atleta começou mal e queimou as duas primeiras chances.
Jovane Guissone é prata

Jovane Guissone conquista medalha de prata na esgrima em cadeira de rodas

A madrugada desta quinta-feira (26) foi histórica para os brasileiros nas Paraolimpíadas em Tóquio. Jovane Guissone conquistou a primeira medalha de prata na modalidade esgrima em cadeira de rodas. O atleta iniciou os combates na noite desta quarta feira (25) e se consagrou novamente medalhista olímpico na manhã do dia seguinte. Após o ouro em Londres
Jovane

Jovane Guissone faz grande estreia na esgrima e avança na competição – Paralimpíadas

Nesta terça-feira (24), as Paralimpíadas de Tóquio 2020 se iniciaram. Na esgrima, os primeiros combates foram na noite dessa quarta feira (25), pelo horário de Brasília. Jovane Guissone, um dos grandes nomes da delegação brasileira, disputou cinco combates. Com derrota apenas para a Ucrânia, o atleta passa da fase de grupos e avança na competição.
Brasil leva comissão enxuta para a cerimônia de abertura das Paralimpíadas

Paralímpiadas: abertura tem delegação enxuta e protesto

A cerimônia de abertura das Paralímpiadas foi marcada por alegria, delegação enxuta, protestos e mensagem de inclusão social. No entanto, por conta da pandemia da Covid-19, o evento ocorreu sem a presença do público. Repetindo o que foi visto nas Olímpiadas, o Brasil evitou aglomerações e levou apenas quatro componentes. Os porta-bandeiras Petrúcio Ferreira, do atletismo, e