Revezamento 4x400 misto

Em Tóquio, o revezamento 4x400m misto faz sua estreia no programa olímpico. O Brasil terá uma equipe na competição. Contudo, a vaga veio através do Mundial de Doha 2019, ao conquistar o 8° lugar, com o tempo de 3min16.22. Antes, pelas eliminatórias, fez 3min16.12. Dessa maneira, assegurando o recorde sul-americano.

Ademais, o time brasileiro será composto por Anderson Henriques, João Henrique Falcão, Pedro Burmann, Tiffani MarinhoTabata VitorinoGeisa Coutinho. Então, conheça um pouco desses atletas para as Olimpíadas.

Advertisement

Tiffani Marinho

Dessa forma, essa é a primeira Olímpiadas da fluminense de 22 anos. Tiffani passou a integrar a seleção do revezamento em 2019. Agora, lidera o ranking brasileiro dos 400m rasos. No currículo, tem o 1° lugar no Troféu do Brasil nos 400m, onde bateu seu recorde pessoal com 51s84. Em Tóquio, ela também competirá nos 400m rasos.

Tabata Vitorino

Nas Olimpíadas do Rio, foi reserva no revezamento 4x400m feminino. Contudo, não entrou na pista. Dessa vez, será uma das titulares da equipe.  Ainda mais, no ranking da Confederação Brasileira de Atletismo, está em 2°, com o tempo de 52s15.

Geisa Coutinho

A veterana de 41 anos já competiu nas Olimpíadas de Atenas, Londres e Rio de Janeiro. Atualmente, é a 3° no ranking dos 400m rasos da federação brasileira. Experiente, tem duas medalhas nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara e uma nos Jogos Pan-Americano de Santo Domingo. Por fim, no mundial de Doha, correu com o time que conseguiu a vaga olímpica. Nesse ano, competiu com a equipe mista no Campeonato Mundial de Revezamento, realizado na Polônia, ficando com a medalha de prata com o tempo de 3min17s54.

Anderson Henriques

O velocista fará sua estreia em jogos olímpicos. Apesar de sempre competir em alto nível, lesões e doenças atrapalharam sua carreira. Na decisão dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, foi acometido por uma febre, que o impediu de buscar uma vaga para os 400m rasos de Londres-2012. Anos depois, uma pubalgia o impossibilitou de brigar por um lugar na Rio-2016. Desse modo, alguns patrocinadores deixaram o atleta. Assim, foi obrigado a dispensar o técnico Leonardo Ribas, com quem estava há quase 10 anos, para cortar custos. No entanto, no último ciclo olímpico, contornou todas as adversidades e integra a equipe de revezamento desde 2019.

Pedro Burmann

Aos 29 anos, o atleta sul mato-grossense já representou o País no Pan-Americano de Toronto e nas Olimpíadas do Rio, onde, com a equipe masculina de revezamento, terminou em uma ótima 8° posição. Nesse ciclo olímpico, o velocista sofreu uma série de lesões. Depois, já recuperado, a pandemia da Covid-19 também trouxe dificuldades. Desse modo, seu melhor resultado nesse período foi conquistado em maio deste ano, quando venceu a prova do revezamento 4x400m do Campeonato Sul-Americano, disputado no Equador.

João Henrique Falcão

O piauiense foi convocado após Lucas Carvalho optar por se dedicar exclusivamente à prova dos 400m rasos. Frequentemente esteve entre os selecionados para a equipe do revezamento e fez parte do time que conquistou o ouro no Campeonato Sul-Americano deste ano.

Revezamento 4x400m misto – Quando começa?

Em suma, as classificatórias começam nesta sexta-feira (30), com a final sendo realizada no dia seguinte. Enfim, os brasileiros não estão entre os favoritos, mas tem potencial para chegar na final.

Foto: Divulgação/Tiffani Beatriz Marinho

Aline Louzano

Bet 7


Related Post