Bauru Basket

Atualmente, o Bauru Basket não detém apenas uma vitoriosa tradição, como também representa uma potência do basquete no Brasil. Entretanto, o reconhecimento fora de terras canarinhas é recente. A conquista, de forma invicta, da Liga das Américas, em 2015, representou um divisor de águas na história do Dragão.

Oportunidades surgiram e, após o título, a equipe do interior paulista ficou apenas uma vitória do título mundial de clubes. Inclusive, no mesmo ano, foram convidados a disputar partidas de pré-temporada com equipes da NBA, maior liga de basquete do planeta. Por isso, nada mais justo do que relembrar o troféu que colocou Bauru no mapa do basquete internacional.   

Advertisement

CAMPEÃO DE TUDO

A equipe do Bauru Basket chegou ao torneio de forma invicta, ganhando tudo que havia disputado até o momento. Os títulos da Liga Sul-Americana, Campeonato Paulista, Jogos Abertos do Interior, além da liderança no NBB, confirmavam a ótima fase e o favoritismo do Dragão. A princípio, o elenco comandado pelo técnico Guerrinha ficou no Grupo D com o Patriotas de Boyacá (COL), Capitanes de Arecibo (PUR) e Trotamundos (VEN). 

Cada um dos quatro grupos tinha um país-sede. Como resultado, o Dragão disputou a fase de grupos em Tunja, na Colômbia. Mesmo longe de casa, ao contrário da equipe de São José (BRA) que sediou o grupo A, o time bauruense dominou a primeira parte da competição. Com saldo positivo de 84 pontos, o jogo mais “apertado” terminou com 11 pontos a favor dos brasileiros. 

FASE DECISIVA

Em seguida, as duas melhores campanhas de cada grupo avançaram à segunda fase, onde foram divididos novamente em dois grupos. Bauru ficou junto com São José (BRA), Regatas Corrientes (ARG) e o Pioneros (MEX). Com a melhor defesa e segundo melhor ataque do torneio até então, o Dragão conquistou mais 3 vitórias e avançou para o quadrangular final invicto.

Agora nas semifinais, o Flamengo ficou a dois pontos de uma final brasileira novamente, entretanto o rubro-negro carioca caiu diante do Pioneros (MEX). Por outro lado, o time bauruense fez o dever de casa e avançou à final, derrotando o Peñarol em jogo onde dominaram o confronto do começo ao fim, placar final: 80 x 61.

FINAL NO MARACANÃZINHO

O capítulo final da competição contaria com o Ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, como sede. Bauru Basket e Pioneros buscavam a conquista  inédita. Apesar da campanha invicta, os bauruenses começaram a partida mais nervosos. A equipe do México, com ótimo jogo coletivo, conseguiu igualar o placar após o primeiro quarto, 24 x 24. Apesar da pressão sofrida, o dragão foi aos vestiários liderando por cinco pontos após dois quartos. 

Logo após a volta, o Pioneros impôs um jogo mais físico e, predominante, defensivo. Como consequência, ambas as equipes não chegaram sequer aos 20 pontos cada uma, no que foi a etapa com menos ações ofensivas da finalíssima. Contudo, os Mexicanos não contavam com um último quarto arrasador de Bauru. O Dragão permitiu apenas 13 pontos do adversário, em contrapartida, anotou 24 para colocar a vantagem em dois dígitos. Placar final: 86 x 72.

Por fim, o destaque do confronto foi o pivô Rafael Hettsheimeir com 30 pontos, sendo 15 deles anotados do perímetro. Além disso, Murilo Becker teve ótima atuação com direito a duplo-duplo, anotando 17 pontos e pegando 11 rebotes. Acima de tudo, Alex Garcia, o “brabo”, xodó da torcida, foi eleito o MVP (Jogador mais valioso) da competição.   

Foto destaque: Divulgação/André Durão

mm
Bio: Me chamo Alexandre Victor, tenho 22 anos, e curso Jornalismo pela Unesp. Apaixonado por esportes, principalmente pela bola laranja. Twitter: @outroale_victor e Insta: @ale_vitor

Cyber


Related Post