Corinthians

Nesta terça-feira (22) o Corinthians avançou na negociação com o técnico português Vítor Pereira. O contrato terá validade até o fim de 2023, justamente quando se encerra a gestão do cartola no clube do Parque São Jorge. Antes de tudo, Vitor Pereira, 53 anos, abriu conversas com o Timão há algumas semanas, porém havia dito não à oferta por conta de problemas pessoais.

Logo, como não concretizou a chegada do também português Luís Castro por conta da multa contratual com o Al-Duhail, do Qatar, o Alvinegro voltou a conversar com Vítor. Bem como, ofereceu um valor maior do que o inicial e fechou o negócio. A informação foi publicada pelo ex-jogador e hoje apresentador Neto.

Advertisement

CORINTHIANS: QUEM É VITOR PEREIRA?

De antemão, Vitor Pereira acumula passagens pelo Porto, Ah Ahli (Arábia Saudita), Olympiacos (Grécia), 1860 Munique (Alemanha), Shanghai SIPG (China) e Fenerbahce, da Turquia. Logo, o português estava livre no mercado da bola desde o fim de dezembro do ano passado, quando deixou o futebol turco após seguidos maus resultados.

A princípio, Pereira conquistou duas vezes a liga portuguesa (2012 e 2013) e duas vezes a Supercopa local pelo Porto. Além disso, um Campeonato Grego e uma Copa da Grécia pelo Olympiacos (2015) e o título da liga chinesa pelo Shanghai SIPG (2018).

Recentemente, Vitor abriu negociações com o Everton, da Inglaterra, e ficou muito próximo de trabalhar na Premier League. No entanto, as conversas não avançaram. O treinador possui a Licença PRO, da Uefa, que lhe permite atuar em qualquer competição do futebol profissional.

ESTILO DE JOGO

Em contrapartida, Vitor Pereira, busca um equilíbrio desejado por muitos treinadores em seus times. Em síntese, o português gosta de se adaptar ao time que enfrenta. Sobretudo, com um contexto de futebol brasileiro, pressão e temporada apertada, isso pode ser algo positivo.

Por fim, em entrevista ao portal Mais Futebol, de Portugal, Vitor Pereira falou sobre o seu estilo de jogo. O treinador criou uma expressão que define o estilo de futebol que ele gosta em seus times.

– Isso veio para ficar. Na China jogávamos no 3-4-3 ou no 3-5-2, por vezes no 4-3-3. Na semana passada, estive em uma “webinair” e apelidei esta nova estrutura de estrutura transformer. Vivemos em uma tendência de um futebol com as linhas mais coordenadas e os espaços mais reduzidos. Com isso, precisamos nos reinventar no ponto de vista ofensivo – explicou.

Foto Destaque: Reprodução/AFP

Gabrielle Sena
Escolhi o jornalismo por que eu sempre tive paixão pelas palavras. Desde muito nova eu escrevia sobre tudo e de alguma forma eu sentia que era ouvida. Sou Gabrielle Sena, tenho 22 anos, moro na capital de São Paulo, jornalista e atualmente faço pós-graduação em Jornalismo Esportivo. Eu sempre quis ser escritora, entrei no jornalismo para poder aperfeiçoar minha paixão. Durante a faculdade escrevi um livro reportagem sobre Mães Narcisistas, entrevistei 20 mulheres de todos os lugares do país e contei as suas histórias. Escrever um livro foi a minha maior conquista.
O Esporte me faz sair da minha zona de conforto. Sou muito persistente com o que eu quero e me esforço 100%. Meu objetivo é crescer como jornalista e continuar me desafiando todos os dias.

Related Post