Diulio Monteiro presidente do Corinthians

Antecipadamente, na quarta-feira (30) o Corinthians anunciou o balancete referente ao mês de abril. Bem como, trouxe uma visão melhor de como anda as contas. O presidente do clube, Duilio Monteiro, havia prometido a divulgação dos números ainda esta semana. A princípio, o time paulista registrou um número positivo entre as receitas e despesas. Em síntese, mesmo com a apresentação com números melhores, essas mudanças também causou a saída de alguns jogadores. Além disso, o clube não fez nenhuma contratação na temporada.

Corinthians divulga balancete

De antemão, o resultado positivo do superávit do mês de abril fechou com R$ 4,082 milhões. Um número superior ao primeiro trimestre, com certa de R$ 500 mil. Já a dívida total recuou em R$ 4 milhões e agora é de R$ 948 milhões. Sobretudo, o aumento se deu após um controle maior de custos dos principais departamentos do clube. Por exemplo, o departamento de futebol apontava um saldo positivo de R$ 24 milhões. Agora, um mês depois, o saldo subiu para pouco mais de R$32 bilhões.

Advertisement

Alguns valores relevantes do balancete: R$ 113 milhões de receita em direitos de transmissão, sendo um crescimento de R$ 25 milhões em abril; R$ 31 milhões em patrocínios, sendo um crescimento de R$ 8 milhões em abril; R$ 11 milhões com repasses de direito federativos, sendo um crescimento de R$ 3 milhões em abril. A gestão liderada pelo presidente Duilio Monteiro Alves pegou o clube com um déficit anual de R$ 123,3 milhões.

Mudanças na folha salarial

A princípio com todas as mudanças, a folha salarial do elenco caiu cerca de R$ 2 milhões. Logo depois, em 15 dias, o Corinthians tirou cinco jogadores: Camacho, Bruno Méndez, Ramiro e, a partir deste 1º de julho, Otero e Jemerson. Em relação ao elenco que iniciou 2021, foram 13 saídas, redução que já é sentida no bolso. Lembrando que o plantel não fez nenhuma contratação na temporada. 

Há ainda o caso dos jogadores que se mantiveram em empréstimos, como Matheus Jesus do Juventude, Caetano do CRB, Fessin Ponte Preta, André Luiz e Janderson do Atlético-GO, Sornoza Tijuana-MEX e Madson do Santa Cruz. Marquinhos, que estava no Sport e foi reintegrado.

Posteriormente, em dezembro de 2020, no último mês de gestão de Andrés Sanchez, a folha salarial bruta do futebol era de R$ 14,6 milhões por mês, englobando todos os encargos. 

Foto Destaque: Reprodução/Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Gabrielle Sena
Escolhi o jornalismo por que eu sempre tive paixão pelas palavras. Desde muito nova eu escrevia sobre tudo e de alguma forma eu sentia que era ouvida. Sou Gabrielle Sena, tenho 22 anos, moro na capital de São Paulo, jornalista e atualmente faço pós-graduação em Jornalismo Esportivo. Eu sempre quis ser escritora, entrei no jornalismo para poder aperfeiçoar minha paixão. Durante a faculdade escrevi um livro reportagem sobre Mães Narcisistas, entrevistei 20 mulheres de todos os lugares do país e contei as suas histórias. Escrever um livro foi a minha maior conquista.
O Esporte me faz sair da minha zona de conforto. Sou muito persistente com o que eu quero e me esforço 100%. Meu objetivo é crescer como jornalista e continuar me desafiando todos os dias.

Cyber


Related Post