FIFpro

A saber, nesta terça-feira(5), a FIFPro divulgou um estudo em que comprova o maior desgaste dos jogadores pelo acúmulo de jogos. Então, o sindicato mundial dos atletas profissionais pede reajuste no calendário do futebol para diminuir o número de jogos. Como resultado, o relatório repercutiu no mundo da bola e as federações junto com a FIFA já pensam em se mexer para atender o pedido.

Sobretudo, o estudo mostra como os atletas estão sendo prejudicados pelo fato de estarem jogando mais vezes. Em outras palavras, um jogador joga hoje 70 a 80% mais no ritmo de duas vezes na semana do que em outros períodos. Desse modo, o sindicato está preocupado com a saúde e carreira dos atletas.

Advertisement

Dados importes sobre o estudo

Antes de mais nada, o FIFpro apresentou que a análise foi feita do período de junho de 2018 até agosto deste ano. Além disso, mostrou os atletas que participaram, sendo 265 jogadores do futebol masculino de 44 ligas contando com cerca de 40.00 aparições em partidas no período estudado. Por último, o relatório foi baseado na plataforma de Monitoramento de Carga de Trabalho do Jogador FIFpro, que é onde a instituição consegue consultar os minutos e número de partidas jogadas por cada jogador.

Nesse sentido, os dados mostram que os atletas que atuam pelas suas seleções tiveram muito mais minutos jogados em momentos de auge da partida. Ou seja, a carga de trabalho de jogadores selecionáveis tem aumentado muito. Como resultado, esses jogadores atuaram 67% do seu tempo em campo de forma consecutiva em 2020-21. Por outro lado, nos outros anos, esse número era de 61%, o que mostra um aumento considerável.

Foto destaque: Divulgação/FIFpro

Henrique Duarte

Cyber


Related Post