Gabriel Nunes: A ousadia de não se permitir desistir

O amor ao futebol geralmente é despertado na infância, um sentimento passado de geração para geração. Com Gabriel Nunes não foi diferente, com apenas 5 anos de idade recebeu do pai um presente que gostou tanto, que nunca mais largou. Aquela bola fez o garoto conhecer o universo do esporte mais apaixonante do planeta. Assim, o menino de Santos descansava das peladas com os amigos, jogando futebol no videogame e vice- versa.

“Meu pai me deu uma bola de futebol aos 5 anos, e me encantei ao esporte, comecei a brincar e jogar todos os dias com os meus amigos, virou um vício, se eu não estava jogando com as bolas nos pés, estava jogando no videogame, é uma paixão”, explicou o jogador.

Advertisement

Posteriormente, o carinho com que Gabriel tratava a bola foi tão grande que ela começou a procura-lo dentro de campo. Dessa forma, o pai do menino percebeu o talento que seu filho tinha e resolveu colocá-lo em uma escolinha. Primeiramente, em quadras de futsal onde o garoto desfilava com suas habilidades e com seu faro artilheiro.

Desse modo, trilhou o caminho natural para os campos já na adolescência. No início a adaptação foi difícil, mas foi na dificuldade que Gabriel descobriu dois atributos que o diferenciaria dos outros jogadores. A sua persistência inesgotável e o apoio ilimitado do pai fizeram com que o garoto superasse qualquer obstáculo que aparecesse em sua frente.

“As vezes bate uns momentos de tristeza, mas meu pai  sempre está do meu lado e nunca deixou eu desistir. Toda vez que ele me pedia para continuar, eu via que conseguia ir sempre mais além e ser cada vez melhor dentro de campo”, completou Gabriel.

As Adversidades

Obstáculos na vida de um jogador de futebol são comuns e muitas vezes complexos, principalmente quando colocam em dúvida sua capacidade de continuar jogando. A lesão na coxa que o tirou de campo por seis meses foi talvez a barreira mais difícil que Gabriel enfrentou em sua carreira.

Contudo, o golpe mais duro que o meia atacante recebeu não foi no esporte. Quando tinha somente 11 anos, Gabriel perdeu seu irmão, o cantor Dan Nunes. Em  março de 2015, o vocalista da banda Tr3vo foi baleado após apresentação no litoral de São Paulo. Dessa maneira, o garoto aprendeu desde cedo a superar as adversidades mais doloridas.

“A lesão foi horrível, fiquei seis meses parado e perdi o Campeonato Brasileiro[…] Meus pais me apoiam muito e meu irmão também acreditava demais em mim. Tenho que continuar firme e realizar nosso sonho“, desabafou o esportista.

Inspirações e objetivos

Pelos gramados das categorias de base passou por Jabaquara, Taboão da Serra e agora está em solo português, no Anadia, clube da terceira divisão. Ao contrário da maioria dos atletas brasileiros, Gabriel não adquiriu sentimentos por nenhum time, mas admite se identificar com o Benfica, de Portugal. Assim como a nova geração de jogadores, o garoto de Santos revela que jogar a Champions League é o maior objetivo da sua carreira.

“Hoje, o meu maior objetivo na carreira é conseguir jogar a Champions League. Mas também quero  ganhar títulos aqui (em Portugal) e conseguir ser artilheiro  do Campeonato Português. Fora do futebol acho que meu maior desejo é fazer meus pais pararem de trabalhar”, disse o atleta.

Fã de Trap e de Cristiano Ronaldo, são essas as inspirações do menino para tamanha força de vontade que possui. A admiração no astro português não é somente por jogarem na mesma posição, mas sim pelo estilo de vida disciplinada que o camisa 7 da Juventus mantem desde sempre.

Dessa forma, Gabriel sabe que precisa ter a determinação do ídolo para conseguir ter sucesso e ajudar sua família. Assim, o atleta de 17 anos continua persistente nos sonhos que tem e, conforme diz na sua música favorita, ele garante que “não vai parar por nada nesse mundo”.

Foto Destaque: Reprodução/Instagram Gabriel Nunes

Enzo Gabriel

Cyber


Related Post