Guilherme Paraense

A menos de três meses para as Olimpíadas de Tóquio 2021, iremos relembrar do atleta Guilherme Paraense, primeiro medalhista de ouro neste torneio. Além disso, o esportista especializado em tiro, entrou para a história em 1920, nos Jogos Olímpicos da Antuérpia, na Bélgica. Por fim, infelizmente o esportista faleceu em 1968, mas deixou um legado histórico, que apareceu inclusive nos jogos de 2016.

Quem foi Guilherme Paraense?

Acima de tudo, Guilherme nasceu no Pará e sempre foi um apaixonado por armas de fogo. Tanto que, o esportista teve seu primeiro contato com um revolver foi quando ingressou no Exército Brasileiro e alcançou a patente de Tenente. Em suma, o brasileiro pós o serviço militar migrou para o Fluminense e assim se tornou um atleta.

Advertisement

Caminho até as Olimpíadas e a conquista do Ouro

Sendo assim, a chegada da delegação brasileira para a Bélgica foi um pouco conturbado. Com isso, por se tratar de um outro continente, a instituição viajou de barco até o velho continente. Neste percurso, atrasos foram dados e até mesmo itens roubados nesse periodo. Para termos uma ideia, os atletas tiveram que desembarcar em Portugal e ir em um trem aberto, fazendo com que depois de 27 dias de deslocação, chegassem ao local da competição.

Em 2 de agosto, na prova de pistola 50m por equipes, o time formado por Paraense, Afrânio da Costa, Sebastião Wolf, Dario Barbosa e Fernando Soledade conquistou o bronze. No mesmo dia,  Da Costa, nos 50m de pistola livre 60 tiros, faturou a prata. Em suma, na prova individual, Guilherme fatorou a primeira medalha de ouro em jogos Olímpicos no prova de Pistola Rápida, com seu próprio revolver e assim entrou para a história, pois, nesse torneio apenas os atletas de tiro conseguiram medalhas para o Brasil.

Pós as Olimpiadas, Guilherme ainda foi campeão Sul-Americano em 1922 no Tiro Esportivo, pelo próprio Fluminense e o São Cristóvão. Para finalizar, voltou a ser militares, chegando ao posto de Coronel, que também atuou na Revolução de 1930.

Homenagens

Como resultado, a noticia da medalha de ouro foi rápidamente anuncia por terras brasileiras. Com isso, na chegada da delegação ao Brasil, o Presidente da época, Epítacio Pessoa os recebeu e concedeu uma placa comemorativa.

Além disso, o Exército também fez homenagens, colocando o nome “Polígono de Tiro Tenente Guilherme Paraense” o conjunto de estandes de tiro da Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende, Rio de Janeiro. Em 2016, o estande de tiro esportivo em Deodoro recebeu seu nome para a realização das Olímpiadas do Rio. Em suma, um ginásio em seu estado também foi batizado por seu feito histórico.

Foto Destaque: Reprodução/Governo Federal/Arquivo Pessoal

Bruno Gabriel
Olá, meu nome é Bruno Gabriel, tenho 20 anos e estudo Jornalismo na Universidade Metodista de São Paulo. Pretendo seguir na área de esportes, é um sonho desde criança. Espero alcançar os maiores eventos esportivos com muita criatividade e bom humor. Instagram: @bruhh_g20.

1xBet


Related Post