HEBERT CONCEIÇÃO

Hebert Conceição fez história nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. O baiano conquistou um triunfo que já parecia distante. Após perder claramente os dois primeiros rounds. O brasileiro conseguiu encontrar um belo cruzado de esquerda, que jogou seu adversário na lona. Assim, com o ucraniano visivelmente desnorteado, o árbitro declarou o soteropolitano vencedor e campeão olímpico de boxe, na categoria até 75kg.

VANTAGEM ADVERSÁRIA

A princípio, Oleksandr Khyzhniak apresentou muitas dificuldades para o brasileiro. O ucraniano partiu desde o primeiro soar do gongo para cima de Hebert. Com um plano tático muito agressivo e de grande volume, o europeu impôs uma luta de muitas trocas de golpes na curta distância. O que não deixava o baiano confortável.

Advertisement

Hebert Conceição é uma lutador muito talentoso, com um senso de espaço e tempo muito apurado. Ele tem todos os atributos técnicos muito bem trabalhados. E geralmente, atletas assim gostam de lutar na chamada “média distância”. Entrando para golpear e saindo logo em seguida sem ser atingido.

Contudo, não era o que se viu nos dois primeiros rounds. Houve um claro domínio do ucraniano. Que conseguiu por repetidas vezes tocar mais o brasileiro. Dessa maneira, Hebert se viu em desvantagem antes do início do último assalto. Todos os cinco juízes viram o europeu vencendo por 10:9 em ambos momentos.

REVIRAVOLTA HISTÓRICA

Assim, o baiano precisava ser muito superior ao adversário. E também sabia que o nocaute seria a maneira mais “fácil” de virar essa difícil situação. A princípio, Khyzhniak parecia não sentir cansaço algum. E imprimia o seu volume.

Hebert, por sua vez, tentava em cada golpe disparado mudar o rumo da sua história. E faltando apenas 1:38 para a luta acabar, o brasileiro conseguiu. Com um belíssimo cruzado de canhota, bem na ponta do queixo, o ucraniano viu seu mundo dar voltas. Claramente zonzo, o árbitro central encerrou a luta ali e o Brasil tinha mais um campeão olímpico.

HEBERT CONCEIÇÃO CAMPEÃO OLÍMPICO

Dessa maneira, o país conquistou sua segunda medalha de ouro na modalidade. Após a conquista do também baiano Robson Conceição, no Rio 2016, a Bahia traz mais uma dourada no boxe. Em resumo, o Brasil agora soma oito medalhas no boxe olímpico. Sendo duas de ouro, uma de prata e quatro de bronze. Por fim, ainda falta definir a cor da medalha de Beatriz Ferreira, que lutará a final da categoria até 60kg na madrugada deste domingo (8).

Foto destaque: Divulgação/Wander Roberto/COB

mm
Historiador pela UFPE e graduando em Jornalismo pela UniNassau.

Bet 7


Related Post