Holger Quiñonez

Zagueiro firme, não tinha medo de nada e, além disso, ousava no seu estilo com sua cabeleira rastafári. Um dos destaques da campanha do título do Vasco no Brasileirão de 1989 e peça fundamental na Seleção Equatoriana dos anos 90. A coluna Pela Linha do Equador traz a vocês a brilhante trajetória de Holger Quiñónez no futebol.

Advertisement

Holger Quiñónez nasceu em San Carlos, no Equador, em 31 de outubro de 1962, e foi para Guayaquil, onde deu seus primeiros passos no Barcelona local. Seu jogo bem agressivo, firme e muito sério despertou interesse na seleção de seu país. Dessa forma, defendeu o Equador a partir de 1984. À vista disso, no ano de 1989, disputou sua primeira Copa América realizada em solo brasileiro. Então, o Vasco da Gama o contratou.

Tchau Equador, partiu Brasil

Por ser muito querido no Barcelona, a equipe de Guayaquil fez uma linda homenagem ao atleta. Aliás, era um marco histórico um jogador equatoriano vir jogar no Brasil. Sua estreia pelo Vasco aconteceu em outubro de 1989, em partida contra o São Paulo, no Maracanã, que terminou 0 x 0. Logo depois, com boas atuações, virou titular absoluto na zaga vascaína, devido ao seu estilo de jogo.

Todavia, o ápice da sua passagem pelo Vasco aconteceu no dia 16 de dezembro de 1989. Jogando no Morumbi, contra o mesmo São Paulo de sua estreia, Sorato marcou o gol e deu o título brasileiro ao Cruzmaltino.

Dessa forma, em 1990, Holger continuou como titular absoluto do Gigante da Colina e disputou a Copa Libertadores. Entretanto, o clube carioca saiu cedo da competição, onde perdeu para o Atlético Nacional, de Medelín, nas quartas de final, mesmo o segundo jogo tendo suspeitas de ameaça e suborno do Cartel de Medelín, comandado por Pablo Escobar, sobre a arbitragem da partida.

Obrigado, Vasco da Gama

Contudo, Quiñónez deixou o clube carioca em 1990 rumo ao Emelec, time da sua cidade natal. Logo após isso, foi para a Europa onde defendeu o União, da Ilha da Madeira, em Portugal. Voltou ao continente sul-americano e vestiu a camisa do Deportivo Pereira, na Colômbia, até voltar ao Equador, onde assinou contrato com o Deportivo Quito, clube da capital equatoriana. Por fim, voltou ao Barcelona de Guayaquil, onde encerrou sua carreira em 2000.

O reencontro com o Cruz-Maltino

Sua volta ao time de Guayaquil tinha reservado uma surpresa para Holger Quiñonez. Inesperadamente, o time do equatoriano cruzou com o Vasco, na final da Libertadores de 1998, quando o time carioca venceu finalmente a competição.

Trajetória na Seleção Equatoriana

Sua trajetória pela seleção foi muito boa. Quiñónez participou de cinco edições da Copa América: 1989, 1991, 1993, 1995 e 1999. Foram 50 partidas disputadas com a camisa dos Amarillos. Seu último jogo pela seleção aconteceu em 1999, no início da equipe que conseguiu levar o Equador a sua primeira Copa do Mundo, em 2002. Além desse feito, Holger também conquistou o Campeonato Brasileiro pelo Vasco em 1989, sem contar os quatro títulos equatorianos com o Barcelona de Guayaquil: 1981, 1995, 1987 e 1989.

Holger Quiñónez como treinador

Após uma brilhante carreira como jogador, com diversos títulos e passagens importantes pelos clubes na qual defendeu, Holger Quiñónez foi contratado, em 2007, pelo Barcelona de Guayaquil, para ser o treinador do time equatoriano, mas atuou apenas um ano na profissão. Atualmente Holger é técnico de uma escolinha de futebol em Guayaquil.

Foto Destaque: Reprodução/ogol.com 

Vinicius F. Cardoso on Email
mm
Me chamo Vinicius Fernandes Cardoso, tenho 26 anos e sou natural de São Paulo. Escolhi o jornalismo porque sou apaixonado por esporte, especialmente o futebol! Sempre atuei como atleta e vi nessa área uma oportunidade de continuar na carreira esportiva. Como criação de conteúdo na área jornalística, publico noticias, em sites, no Twitter e Linkedin. Meu objetivo como profissional é cumprir minhas metas e sonhos que tenho comigo. Sou uma pessoa que gosta de ajudar e ser ajudado, tenho facilidade em estabelecer conexões com pessoas e gosto de ser envolvido pelo desafio.

Related Post