Isaquias Queiroz Canoagem Olimpíadas Tóquio 2020 (Reprodução/Jonne Roriz/COB)

O canoísta brasileiro, Isaquias Queiroz, venceu na manhã deste sábado (7) o ouro da Canoagem. Dessa maneira, a prova aconteceu no Canal Sea Forest, na baía de Tóquio, em uma prova do C1 1000m. Ademais, o baiano fez um tempo de 4m04s408. Assim, o atleta disse:

“Tô meio que aéreo ainda… É diferente ganhar uma medalha de ouro. Estou feliz, mas estou mais feliz por estar deixando vocês no Brasil mais felizes (…). É um trabalho longo, de uma vida inteira. Larguei tudo na minha vida para me dedicar ao esporte, não só eu, mas minha esposa também. Minha mãe passou por muita coisa na vida e hoje está vendo o filho medalhista de ouro, dedico a ela também essa medalha”.

Advertisement

Nesse momento, o brasileiro possui quatro medalhas olímpicas (o ouro no Japão, em Tóquio, e duas de prata e uma de bronze no Brasil, no Rio de Janeiro). Ademais, figura 12 pódios mundiais e quatro pan-americanos, com nove ouros em 16 competições.

O chinês Hao Liu ficou com a medalha de prata e o moldavo Serghei Tarnovschi o bronze. Ainda mais, segue classificação da prova de canoagem:

1. Isaquias Queiroz (Brasil) – 4m04s408
2. Hao Liu (China) – 4m05s724
3. Serghei Tarnovschi (Moldávia) – 4m06s069
4. Adrien Bart (França) – 4m06s171
5. Martin Fuksa (Rep. Tcheca) – 4m08s755
6. Conrad Scheibner (Alemanha) – 4m13s725
7. Fernando Dayan Enriquez (Cuba) – 4m13s918
8. Pengfei Zheng (China) – 4m14s048

A trajetória de Isaquias

Isaquias é atleta do Flamengo, onde treina há sete anos em Lagoa Santa, cidade da região metropolitana de Belo Horizonte. Ademais, tem como técnico Lauro de Souza Júnior, o Pinda, porém ganhou destaque com o espanhol Jesus Morlán, que acabou falecendo em 2018 com câncer no cérebro. Portanto, Queiroz disse antes da final:

“Jesus foi um cara que mudou a a trajetória da canoagem do Brasil. Um cara que merece todo elogio por todas as conquistas que teve e pelo que estava fazendo mesmo com o tratamento do câncer. Para mim, é uma honra poder remar aqui e tentar mostrar para o Brasil que o trabalho dele segue, que podemos mostrar à família dele que levamos o nome do Jesus mesmo ele não estando mais fisicamente aqui. Meu objetivo agora é ganhar essa medalha de ouro para dedicar a ele”.

Assim, Isaquias Queiroz se tornou um dos maiores atletas da história olímpica brasileira. O canoísta de 27 anos ainda tem, pelo menos, mais uma Olimpíada para disputar.

Foto Destaque: Reprodução/Jonne Roriz/COB

Gabriel Yudi
Sou aluno de Jornalismo da PUC-SP (4/8). Sou um grande fã de futebol e do Pelé. Meus sonhos são cobrir uma Copa do Mundo em loco e dar um espelho para que pessoas iguais a mim, asiáticos, tenham alguém para se inspirar.

Related Post