Johan (AFP)

Hendrik Johannes Cruyff, ou popularmente chamado, Johan Cruyff nasceu em 25 de abril de 1947 em Amsterdã, na Holanda. Dessa forma, sua casa era apenas cinco minutos de distância do clube que fez história, o Ajax. Ainda mais, é considerado o melhor jogador europeu do Século XX. Ademais, revolucionou o futebol e o transformou em algo ofensivo e que dava alegria de se ver. Então, a Coluna Herança do Futebol Total conta pra você sobre o mágico holandês.

CATEGORIAS DE BASE

Com apenas 10 anos, Cruyff tinha acabado de ingressar nas categorias de base do Ajax. Todavia, aos 12, seu pai, Hermanus, morreu. Dessa maneira, o jovem decidiu dedicar sua vida ao futebol para homenageá-lo. Então, Johan se esforçou e com apenas 17 anos fez sua estreia no profissional no Campeonato Holandês, a Eredvise.

Advertisement

JOHAN NO AJAX

Com apenas um ano no profissional, a parceria do técnico, Rinus Michels com Cruyff gerou o primeiro título da carreira do jogador, o Campeonato Holandês de 1965/66, isto quando o atleta tinha apenas 18 anos. Além disso, a dupla conquistou mais três Eredvise (1966/67, 1967/68 e 1969/70), três Taça da Holanda (1966/67, 1969/70 e 1970/71) e uma Champions League (1970/71).

Ademais, Johan conquistou mais títulos após a saída de Michels, que foi para o Barcelona, chamou o meia-atacante, mas o holandês decidiu ficar no Ajax. Então, faturou o Campeonato Holandês, a Eredvise mais duas vezes (1971/72 e e 1972/73), mais duas Liga dos Campeões (1971/72 e 1972/73), uma Taça da Holanda (1971/72), uma Supercopa da UEFA (1971/72) e um Intercontinental de Clubes (1972).

Em suma, na sua primeira passagem pelo clube holandês, Cruyff marcou 192 gols em 219 partidas. Então, Johan decidiu sair da equipe de seu coração após outros jogadores do elenco julgarem sua faixa de capitão e pedirem para que o lateral-esquerdo, Piet Keizer, seja o novo comandante do elenco. Enfim, Hendrik decidiu se transferir de clube, com isso, foi para o Barcelona, da Espanha.

Além disso, conquistou o prêmio de Melhor do Mundo de 1971, o primeiro de sua carreira.

Cruyff jogando pelo Ajax (Reprodução)

CRUYFF EM BARCELONA

Em 1973, no Barça, se reencontrou com seu professor, Rinus Michels. Ainda mais, quando o holandês chegou à Espanha, era a contratação mais cara da história na época. Então, o governo espanhol proibiu que o meia jogasse, no entanto, o Barcelona burlou o sistema e registrou Cruyff como uma peça de máquina de agricultura.

Dessa forma, os Culés, juntamente com Johan, conquistaram a La Liga, após 14 anos, em 1973/74. Além disso, na temporada de 1977/78, o clube espanhol ganhou a Taça da Espanha. No entanto, a maior conquista da dupla, foi a revolução do sistema e estilo de jogo do clube. Com um futebol arte, ofensivo e com muitas tabelas.

Dessa maneira, em 1978, Cruyff decidiu se aposentar, com 32 anos. O motivo foi a falta de vontade de jogar após invadirem sua casa e colocarem uma arma em sua cabeça. Então, no Barcelona, Johan ganhou mais duas bolas de ouro (1973 e 1974) e apenas os dois títulos espanhóis com o Barça. Além disso, são 143 jogos com 51 gols e cinco assistências na equipe espanhola.

Johan no Barcelona (Divulgação/Goal)

A AVENTURA ESTADUNIDENSE DE JOHAN

Após se aposentar, o holandês investiu dinheiro em diversos negócios, mas todos faliram. Com isso, Cruyff se viu sem finanças e decidiu voltar a jogar. Então, foi para os Estados Unidos, onde Carlos Alberto Torres, Beckenbauer e Pelé já tinham ido se aventurar.

Enfim, o número 14 foi jogar no Los Angeles Aztecs, para encontrar Rinus Michels novamente, felizmente conseguiu se reerguer financeiramente. Ademais, jogou um ano na equipe da Flórida. Dessa maneira, se transferiu para o Washington Diplomats, outro clube dos Estados Unidos. Todavia, por conta de sua personalidade forte, teve diversas desavenças com companheiros de time.

Com isso, voltou à Europa. Sem nenhum título, a passagem de Johan foi frustrante, porém conseguiu voltar com sua vida financeira ao estável.

Hendrink no Aztecs (Divulgação/Getty Images)

UMA PASSAGEM RÁPIDA PELA ESPANHA

Cruyff decidiu se aventurar no Levante, da Espanha. Todavia, sua permanência no clube foi de apenas seis meses. Sem muito brilho e sem muitos gols.

A breve passagem no Levante (Reprodução)

A VOLTA DE JOHAN

Com 34 anos, Cruyff voltou ao Ajax, time de coração e que fez história. No início, havia muitos questionamentos sobre seu retorno e seu repertório, já que se tinha muita desconfiança. Então, Johan calou a boca de todos e se tornou líder de uma equipe cheia de jovens talentos, sendo um deles Van Basten.

Dessa maneira, após dois anos no clube holandês, o contrato de Hendrik acabou e o Ajax não quis renovar o contrato de seu maior ídolo. Com isso, Cruyff conquistou duas Eredvise (1981/82 e 1982/83) e uma Taça da Holanda (1982/83).

Ademais, somando suas duas passagens pelo time da Holanda, Johan realizou 271 partidas, marcado 177 gols e fazendo 117 assistências. Números absurdos, totalizando uma participação direta por jogo.

Cruyff em sua 2ª passagem (Reprodução)

A VINGANÇA

Cruyff estava chateado com a diretoria do Ajax e se vingou indo para seu maior rival, o Feyenoord. Então, Johan mostrou que seu time de coração estava errado, e junto com Ruud Gullit, ganhou o Campeonato Holandês (1983/84) e a Taça da Holanda (1983/84). Ademais, fez 44 jogos pela equipe, marcando 13 gols e realizando três assistências.

Dessa forma, após o fim desta temporada, Cruyff se aposentou e mostrou para o mundo que era capaz de jogar em alto nível mesmo com a idade.

Johan atuando pelo Feyenoord (Reprodução)

O CARROSSEL HOLANDÊS

A revolução aconteceu ali, Rinus Michels chegou à Seleção Holandesa e juntamente com Cruyff, fizeram o futebol arte e revolucionário acontecer. O futebol total realmente aparecia pro mundo. Na Copa do Mundo de 1974, o Carrossel Holandês fez chover. Cruyff atacava e defendia, não era parado por nada. Então, na fase de grupos, venceu Uruguai, Bulgária e empatou com a Suécia.

Na próxima fase, enfrentou seleções muito fortes, sendo elas: Argentina, Alemanha Oriental e Brasil. Ambos países perderam, sem realizar um único gol. Ou seja, oito gols a favor e zero contra. Na final, o único deslize da Holanda resultou no 2º lugar, a equipe perdeu de 2 x 1. Todavia, é lembrada até hoje por revolucionar o futebol e mostrar a grandiosidade de Cruyff e Michels.

Cruyff atuando na Holanda (Divulgação)

A REVOLUÇÃO

A revolução aconteceu e Cruyff foi a estrela para que isso acontecesse. O jogador que mudou o jeito de jogar, que mostrou a intensidade, a competência e a versatilidade de jogar desde volante até centroavante. Hoje, Lionel Messi e Barcelona jogam da mesma forma que Johan. No Barça de 2011, era impressionante a semelhança com a Holanda de 1974.

Dessa forma, deve-se agradecer a Cruyff todos os dias por revolucionar o futebol e se tornar um dos cinco maiores jogadores da história. A revolução aconteceu e vive até hoje.

Obrigado, Johan Cruyff!

Foto Destaque: Divulgação/AFP

Gabriel Yudi
Sou aluno de Jornalismo da PUC-SP (4/8). Sou um grande fã de futebol e do Pelé. Meus sonhos são cobrir uma Copa do Mundo em loco e dar um espelho para que pessoas iguais a mim, asiáticos, tenham alguém para se inspirar.

Related Post