Karatê Olimpíadas

Acima de tudo, é  a primeira vez que o karatê compõe um programa Olímpico. Sendo assim, há décadas o karatê busca  inclusão no programa Olímpico, pois a modalidade é  tão  antiga, que é  estranho não fazer parte das competições olímpicas. Em suma, a aprovação do COI, no entanto, só aconteceu em 2016 e exclusivamente para os Jogos de Tóquio 2020, por conta da tradição japonesa.

Decerto, o karatê fará a sua estréia no programa nesta edição dos Jogos. Além disso, a Federação Internacional de Karatê  anunciou  os nomes dos 40 primeiros atletas classificados para as olimpíadas.

Advertisement

Como resultado, ao todo somam trinta e duas vagas  alocadas para os quatro atletas mais bem classificados em cada uma das categorias. Em conclusão, o Japão recebeu uma cota de anfitriões de oito atletas, um por categoria.

Ao todo, 80 caratecas (40 mulheres e 40 homens) competirão em Tóquio, 60 em kumite e 20 em kata. Além disso, outras 12 vagas olímpicas adicionais serão alocadas de acordo com a representação continental. Um dos  obstáculos  para a inclusão do karatê na competição olímpica sempre foi sua multiplicidade. Ou seja, há dezenas de estilos e até regras diferentes de competição entre os karatecas do mundo todo.

Karatê nas Olimpíadas

O Comitê Olímpico Internacional (COI) determinou, então, que todas as regras devem obedecer o estipulado pela World Karate Federation, a WKF, entidade responsável por regular o karatê esportivo no esporte. O mais importante, esse feito  faz com que Tóquio 2020 seja talvez a única oportunidade de ver o karatê no maior evento esportivo do mundo.

Decerto, para os apreciadores das artes marciais, esse feito é  espetacular,  já  que as primeiras lutas de judô de 1964, foi   no mesmo palco sagrado, o Nippon Budokan.

O karatê é uma arte marcial que teve origem na província de Okinawa, no Japão e, de acordo com o site oficial dos Jogos de Tóquio 2020, se espalhou por todo o país durante a década de 1920 e mundialmente após a Segunda Guerra Mundial.

Certamente, hoje, segundo dados da WKF, já são mais de 100 milhões de praticantes em todo mundo. Da mesma forma, um deles é Vinicius Figueira, ex atleta universitário da modalidade, medalhista no Mundial Universitário em 2014, que está na briga por uma vaga em Tóquio 2020. Por fim, o  Brasil não terá karatecas em Tóquio. A disputa da modalidade  vai começar   nos dias 5, 6 e 7 de agosto.

Confira a lista completa do Karatê:

MASCULINA KATA

Damian Quintero (ESP)
Ryo Kiyuna (JPN)

Ali Sofuoglu (TUR)
Antonio Diaz (VEN)
Mattia Busato (ITA)

FEMININO KATA

Sandra Sanchez (ESP)
Kiyou Shimizu (JPN)
Vivian Bottaro (ITA)
Mo Grace Lau (HKG)
Sakura Kokumai (USA)

MASCULINO KUMITE -67KG

Darkhan Assadilov (KAZ)
Steven Dacosta (FRA)
Angelo Crescenzo (ITA)
Ali Elsawy (EGY)
Naoto Sago (JPN)

FEMININO KUMITE -55KG

Serap Arapoglu (TUR)
Anzhelika Terliuga (UKR)
Tzu-Yun Wen (TPE)
Miho Miyahara (JPN)
Sara Bahmanyar (IRI)

MASCULINO KUMITE -75KG

Bahman Asgari (IRI)
Luigi Busa (ITA)
Rafael Aghayev (AZE)
Stanislav Horuna (UKR)
Ken Nishimura (JPN)

FEMININO KUMITE -61KG

Xiaoyan Yin (CHN)
Giana Lotfy (EGY)
Jovana Prekovic (SRB)
Merve Coban (TUR)
Mayumi Someya (JPN)

MASCULINO KUMITE +75KG

Ugur Aktas (TUR)
Sajad Ganzjadeh (IRI)
Jonathan Horne (GER)
Ivan Kvesic (CRO)
Ryutaro Araga (JPN)

Foto Destaque: Divulgação/World Karate Federation

mm

Related Post