O adeus de uma lenda: Robben anuncia aposentadoria do futebol

Na última quinta-feira (15), o holandês Arjen Robben anunciou de forma oficial a sua aposentadoria dos gramados. Assim, o FNV traz um compacto de como foi a brilhante carreira do craque de grandes clubes como o Bayern de Munique, Real Madrid e tantos outros.

Antes de mais nada, vale lembrar que o holandês já havia se aposentado por cerca de um ano, mas voltou aos gramados para defender o Groningen, time que o revelou para o futebol, por mais um ano, até “pendurar as chuteiras” novamente.

Advertisement

O INÍCIO DE ROBBEN

Estreou como profissional do Groningen no dia 3 de dezembro de 2000. Por lá, foi considerado o jogador do ano e terminou sua primeira passagem com oito gols em 47 participações. Após a boa estreia no futebol holandês, em 2002 se transferiu para o PSV por cerca de 4,2 milhões de euros.

Em suma, já em sua primeira temporada completa junto ao PSV, Robben foi campeão do campeonato holandês e entre os anos de 2002 a 2004, fez 75 jogos e marcou 21 gols. Portanto, a ascensão do jogador despertou interesse em grandes clubes e da seleção.

ROBBEN ANUNCIADO NO CHELSEA

Depois de grandes temporadas no futebol holandês, Robben desembarcou na Inglaterra por cerca de 18 milhões de euros para defender as cores do Chelsea. Todavia, o jogador que chegava com status de craque, começou a ter seus primeiros problemas com lesões na carreira.

O primeiro grande caso ocorreu pouco depois de chegar à capital inglesa. Nesse interim, Robben foi diagnosticado com câncer no testículo. No entanto, o holandês se recuperou do susto e logo voltou aos gramados.

Eventualmente, sua qualidade era incontestável. Assim, pelos Blues, Robben conquistou uma Premier League, uma Copa da Inglaterra e uma Supercopa da Inglaterra. Além dos títulos, marcou 19 gols e distribuiu 22 assistências em 107 jogos pelo clube londrino entre os anos de 2004 a 2007, quando se transferiu para o Real Madrid.

ROBBEN E SEU GRANDE VILÃO…AS LESÕES

Em síntese, mesmo com algumas lesões o atrapalhando no Chelsea, em agosto de 2007, Robben assinou com o Real Madrid por cerca de 36 milhões de euros para assumir a camisa 11 dos merengues.

Por conta disso, em todo o tempo que esteve em Madrid, Robben não conseguiu fazer mais que quatro partidas consecutivas, o que dificultou a permanência do jogador e decepcionou alguns torcedores pelo investimento.

Mesmo assim, Robben conseguiu contribuir de alguma forma e deixou a Espanha com um título da Supercopa da Espanha e uma conquista da LaLiga. Além disso, marcou 13 gols e somou 15 assistências.

NASCE UM NOVO ÍDOLO BÁVARO

Em 28 de agosto de 2009, Robben se apresentava em Munique para assinar com o Bayern. Portanto, o atacante, que assinou com o clube alemão por cerca de 25 milhões de euros, chegava com certa dúvida do torcedor. A qualidade era indiscutível, mas e as lesões?

Em suma, Robben respondeu todas as perguntas em campo. É verdade que o holandês não conseguiu deixar para trás seu histórico de lesões. Contudo, entre altos e baixos, Robben se tornou um dos grandes ídolos Bávaros da história.

Assim, logo em seu primeiro ano no Bayern, Robben foi um dos grandes responsáveis a levar o clube à final da UEFA Champions League. No entanto, os Bávaros não venceram da Inter de Milão e ficaram com o vice daquele ano.

Dois anos depois, Robben chegava à sua segunda final de Champions junto ao Bayern. Dessa vez, o holandês ficou marcado de forma negativa. Já na prorrogação, ele perdeu um pênalti que daria o título para os alemães. Em seguida, o Bayern perdeu a decisão nas penalidades e Robben viu seu ex-clube, o Chelsea, levantar a taça na Alemanha, em Munique, casa dos Bávaros.

Enfim, no ano seguinte veio a redenção. O Bayern chegou a sua terceira final de Champions em quatro anos e finalmente conseguiu o esperado título. Dessa vez, Robben saiu como herói, ao fazer o gol da vitória, por 2×1, em cima do rival Borussia Dortmund.

Por fim, em julho de 2019, Robben anunciou que estaria deixando o Bayern e iria se aposentar do futebol. Assim, após dez anos de clube, ele se despediu com 20 títulos, 144 gols e 101 assistências com a camisa Bávara.

O RETORNO AO FUTEBOL

Após um ano longe do futebol, Robben alegou saudades dos gramados e assinou por uma temporada com o Groningen, clube em que estreou como profissional. Ainda assim, o holandês mal conseguiu atuar devido ao velho conhecido histórico de lesões. Foram apenas sete jogos na temporada, sem marcar nenhum gol. Veja a carta de despedida do jogador abaixo:

CARREIRA NA SELEÇÃO

Arjen Robben teve sua primeira convocação para a Seleção principal da Holanda aos 19 anos de idade. Assim, esteve presente no grupo que disputou a Eurocopa em 2004. No entanto, os holandeses foram eliminados pelo anfitrião Portugal nas semifinais, após derrota por 2×1.

Eventualmente, dois anos depois, Robben foi convocado para sua primeira Copa do Mundo. Todavia, mesmo com grandes atuações na fase de grupos, Robben e a Holanda não passaram das oitavas de final, quando foram eliminados por Portugal mais uma vez, em um dos jogos mais violentos da história das Copas.

Já na Euro de 2008, Robben acabou perdendo espaço com a chegada do novo treinador Marco Van Basten. Posteriormente, os holandeses não passaram das quartas, ao serem eliminados pela Rússia.

Agora, 2010 foi o ano em que Robben esteve mais perto de trazer o primeiro título de Copa do Mundo para os holandeses. Em grande fase, ele levou a Holanda para a final do torneio diante da Espanha. Contudo, após perder uma chance incrível frente a frente com o goleiro Iker Casillas, os holandeses e Robben viram Andres Iniesta marcar o gol do título para os espanhóis nos minutos finais da prorrogação.

Já em 2012, Robben esteve presente na convocação da Euro. Entretanto, a Holanda decepcionou e foi eliminada logo na primeira fase da competição.

Por fim, em 2014, Robben vivia uma de suas melhores fases na carreira. Para muitos, o holandês merecia o título de melhor jogador do mundo daquele ano. Dessa forma, fez uma Copa quase impecável, estreou com uma atuação de gala em goleada por 5×1 diante da carrasca Espanha. Todavia, na semifinal, a Holanda foi batida pela Argentina nos pênaltis e ficou com o terceiro lugar após vencer o Brasil. Ainda assim, Robben foi eleito Bola de Bronze e esteve presente na Seleção ideal da Copa.

Eventualmente, Robben não conseguiu nenhum título com sua Seleção. Por outro lado, foram boas atuações pela Laranja Mecânica, com 37 gols e 34 assistências em 96 jogos.

Foto destaque: Reprodução / Reuters.

mm
Apaixonado por futebol desde os três anos de idade, fui descobrindo ao longo do anos que o amor por esportes não era restrito só ao futebol. Hoje, estudo jornalismo e tenho como grande objetivo cobrir os grandes eventos esportivos pelo mundo a fora. Sou torcedor, tricolor e acima de tudo apaixonado pelo que aquece o coração, sempre com a missão de levar informação.

Cyber


Related Post