Vestígios: Tinga e Fábio Costa

Antes de mais nada, o ano era 2005 e na decisão do Campeonato Brasileiro entre Corinthians e Internacional, o time paulista levantava a taça. A princípio, a temporada teve muitas polêmicas e também a chamada ”Máfia do Apito”. Ainda durante a partida, o plantel do Colorado acredita que houve erros de arbitragem. Bem como, eles acreditam que o Timão acabou sendo favorecido. Os times se enfrentam neste sábado (3) pela 9º rodada do Brasileirão 2021. No entanto, os vestígios de 2005, será que ainda vive?

2005: a máfia do apito e os vestígios

De antemão, comprovada a denúncia de que o árbitro, Edílson Pereira de Carvalho, havia manipulado o resultado de 11 jogos no Campeonato Brasileiro. Na penúltima rodada do mesmo, o Corinthians enfrentava o Internacional no Pacaembu. Além disso, era a chance do time Gaúcho passar na frente. No entanto, o resultado final foi de 1 x 1, com um pênalti para o Colorado não marcado pelo árbitro, Márcio Resende de Freitas.

Advertisement

E, em 2009, a rivalidade ganhou um novo componente: o DVD. Nos dias que antecederam a final da Copa do Brasil, o então dirigente do Inter, Fernando Carvalho, separou lances em que o Corinthians seria beneficiado por decisões da arbitragem e o levou à Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A reclamação prévia de pouco adiantou, pois o time paulista acabou conquistando o torneio.

Durante a partida Tinga derrubado pelo goleiro Fábio Costa, e em seguida punido com o segundo cartão amarelo ocasionando sua expulsão. Logo depois, na rodada seguinte o Timão levantou a taça, e os Colorados revoltados, nunca se esqueceram do título perdido.

Em 2007, foi a vez do time paulista se revoltar com os gaúchos. O coringão que chegava a última rodada do Brasileirão, com chances reais de ser rebaixado. Pois, caso não vencesse o Grêmio, precisaria que o Goiás não ganhasse o duelo contra o Inter. O Colorado não venceu e o Timão foi rebaixado para a Série B, pela primeira vez na história.

O Corinthians reencontra neste sábado (03), o clube na Arena NeoQuímica. No dia 31 de outubro do ano passado, ainda durante o comando de, Vagner Mancini, os Alvinegros derrubaram o Inter. Além disso, o Timão tem uma longa invencibilidade em casa contra o adversário. Além disso, reza a lenda que vestígios desses duelos ainda vive.

Implantação do VAR

Todavia, erros acontecem e principalmente os de arbitragem, hoje temos o VAR, mas antigamente não era bem assim. Além disso, esse sistema teve o seu primeiro teste aqui no Brasil apenas em 2016. À época, o Campeonato Brasileiro entrava em sua reta final. Em setembro de 2017, o Corinthians enfrentou o Vasco da Gama em sua Arena. No segundo tempo da partida, o atacante, do clube paulista, fez um gol decisivo de mão na pequena área, mas a infração não foi notada pela comissão de arbitragem.

Em meio à pressão da torcida e imprensa, o então presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, optou por implementar o VAR no Brasileirão, o quanto antes. No fim das contas, a decisão foi postergada para o ano seguinte. Sobretudo, a escolha de implantação do recurso se relacionou ao escândalo na final do Paulistão de 2018, entre Corinthians e Palmeiras. A comissão de arbitragem demorou quase dez minutos para decidir se houve ou não um pênalti para o Alviverde.

O ocorrido, sem dúvida, pressionou membros da Federação Paulista de Futebol, organizadora do torneio, a repensar o uso do VAR.

Foto Destaque: Reprodução/torcedores

Gabrielle Sena
Escolhi o jornalismo por que eu sempre tive paixão pelas palavras. Desde muito nova eu escrevia sobre tudo e de alguma forma eu sentia que era ouvida. Sou Gabrielle Sena, tenho 22 anos, moro na capital de São Paulo, jornalista e atualmente faço pós-graduação em Jornalismo Esportivo. Eu sempre quis ser escritora, entrei no jornalismo para poder aperfeiçoar minha paixão. Durante a faculdade escrevi um livro reportagem sobre Mães Narcisistas, entrevistei 20 mulheres de todos os lugares do país e contei as suas histórias. Escrever um livro foi a minha maior conquista.
O Esporte me faz sair da minha zona de conforto. Sou muito persistente com o que eu quero e me esforço 100%. Meu objetivo é crescer como jornalista e continuar me desafiando todos os dias.

Cyber


Related Post