Neste sábado (28), Rayssa Leal venceu a primeira etapa do circuito mundial de Skate Street de 2021, em Salt Lake City, nos Estados Unidos. Assim, a brasileira de 13 anos ganhou pela segunda vez uma fase da competição, que esse ano terá mais duas apresentações. Além disso, a paulista Pamela Rosa também participou da final da edição e terminou na 4ª colocação. Confira agora como a Fadinha fez história e se sagrou campeã do campeonato.

Primeira parte da final – Rayssa quase impecável

Primeiramente, Rayssa Leal iniciou sua trajetória na final com sua linha de manobras. Dessa maneira, a maranhense tentou repetir a mesma série que executou na semifinal, que já tinha garantido uma nota 6. No entanto, a skatista acabou errando uma das manobras mais impactantes de sua série e, então, ficou com 4.5 pontos. Apesar do erro, a Fadinha chegou para a fase das melhores manobras na 2ª colocação, apenas atrás da japonesa Funa Nakayama.

Advertisement

Assim, a brasileira chegou para o chamado best trick muito confiante. Logo na primeira tentativa, encaixou uma boa manobra no corrimão e somou mais 5.7 pontos. Contudo, isso não passou nem perto do melhor que Rayssa poderia fazer. Para assumir a liderança, acertou mais duas tricks com maestria e tirou notas 6.6 e 5.9. A partir daí, ficou claro que seria muito difícil vencer a Fadinha, que tinha praticamente toda torcida a seu favor. Dessa forma, a skatista ainda se deu o luxo de desperdiçar sua última tentativa, e mesmo assim terminou a primeira fase no 1º lugar.

Penúltima manobra – pressão para cima de Rayssa

Depois da volta de 45 segundos e a primeira rodada de manobras, as quatro melhores colocadas passaram para a fase final. Sendo assim, Rayssa Leal estava junto com Roos ZwetslootFuna Nakayama e a brasileira Pamela Rosa. Portanto, as atletas classificadas teriam mais duas oportunidades para tentar executar suas melhores tricks.

Como Rayssa se classificou em 1º lugar, ela foi a última a ir para a pista nas duas tentativas. Dessa maneira, Fadinha viu sua oponente, Funa Nakayama, acertar uma grande manobra e assumir a liderança. Era de se esperar que a brasileira fosse para sua chance pressionada, mas ao ouvir o público gritando seu nome se sentiu mais leve, chamou a torcida e foi com tudo. Entretanto, a skatista não encaixou no corrimão e desperdiçou a oportunidade.

Última manobra – Rayssa Leal fez história

A última rodada começou e, antes de chegar em sua vez, Rayssa tomou um balde de água fria. A holandesa Ross Zwetsloot conseguiu a maior nota do dia, 7.2, e ultrapassou a brasileira, que ficava com o 3º lugar. Em contrapartida, Funa Nakayama não acertou na sua chance e permaneceu na ponta. Com isso, a nossa medalhista de prata nos Jogos de Tóquio tinha que conquistar 8.3 pontos para ficar com o título, parecia uma marca muito distante.

No entanto, a torcida começou a gritar o nome de Rayssa mais uma vez e, como sempre, ela retribuiu como um sorriso de orelha a orelha. Antes de partir para a tentativa, respirou fundo e olhou para o céu, esse foi o último momento antes da história ser feita. Assim, Fadinha voou e fez uma manobra inédita na competição, deu um flip e deslizou pelo corrimão com maestria. Depois do acerto, a brasileira não conseguiu conter as lágrimas e, nos ombros dos amigos Letícia BufoniFelipe Gustavo, recebeu o troféu de campeã.

Nesse momento, Salt Lake City ficou pequena para a gigante de apenas 13 anos. Aos gritos de “É campeão!”, Rayssa Leal, natural de Imperatriz, no Maranhão, entrou para a história e largou na frente na disputa do título da Street League Skateboarding.

Foto destaque: Divulgação/Instagram/@sls

mm

Cyber


Related Post