A ginasta brasileira Rebeca Andrade se tornou a primeira atleta brasileira a conquistar uma medalha olímpica na modalidade. Sendo assim, a jovem de 22 anos teve excelente desempenho nas quatro provas que disputou na categoria individual, ficando apenas atrás da americana Sunisa Lee, que ficou com o ouro.

Em primeiro lugar, Rebeca era a única brasileira a entrar no tablado na disputa de hoje. Além disso, contou com a torcida de sua compatriota Flávia Saraiva e até mesmo de Simone Biles. Vale destacar, que a estrela americana desistiu de participar das finais por conta de problemas pessoais e psicológicos. Entretanto, esteve presente no ginásio esportivo para prestigiar a competição. Por fim, na tribuna, vibrou e aplaudiu a performance de Rebeca, caindo nas graças da torcida brasileira.

Advertisement

Solo

A disputa no solo foi a última da competição. Já tendo passado pelo salto, barra firme e a trave, Rebeca chegou à disputa do solo com chances de brigar pelo ouro. Infelizmente, pisou fora do tablado por duas vezes em aterrisagens, o que lhe tirou pontos, mas não prejudicou sua exibição espetacular. Ao som da música ‘Baile de Favela’ de MC João, Rebeca finalizou sua participação com a nota de 13,666.

A disputa esteve tão acirrada entre a brasileira, a americana Lee e a russa Melnikova, que os mínimos erros de Rebeca nas aterrisagens, tiraram a chance de ouro, mesmo sendo erros pontuais com relação à sua apresentação. A disputa de altíssimo nível se refletiu no placar, onde apenas meio ponto separou a primeira da quarta colocada. Por fim, Sunisa manteve-se em primeiro lugar, Rebeca garantiu a prata e Melnikova o bronze.

Emoção, representatividade e o choro de Daiane

Daiane dos Santos é uma das mais célebres ginastas da história do Brasil. Vencedora do mundial em 2003, e participante de diversas Olimpíadas, Daiane não conteve as lágrimas e a emoção na cobertura da Rede Globo, na qual participa como comentarista nas provas da modalidade.

Em suma, a ex-ginasta comentou sobre a importância da ginastica brasileira vencer uma medalha nos jogos, bem como, se disse realizada por vê-la conquistada por uma atleta negra e de origem humilde, assim como ela.

“Agora a gente tem a primeira medalha do Brasil na ginástica artística com uma negra. Isso é muito forte. Até pouco tempo os negros não podiam competir em alguns esportes. É uma menina que veio de origem humilde, criada por uma mãe solo, veio de várias lesões para ser e a segunda melhor atleta do mundo’’, vibrou Daiane.

Rebeca no pódio e seus próximos compromissos

Como resultado, apesar do feito histórico, Rebeca ainda pode acumular mais glórias em Tóquio. A atleta brasileira ainda participará das finais do salto, no domingo; e no solo, na segunda-feira.

Foto Destaque: Divulgação/CBG

João Lucas Batista

Bet 7


Related Post