Viñales

Uma notícia que chocou a todos no paddock do Mundial de Motovelocidade foi a rescisão contratual de Viñales com a Yamaha. Com isso, em comum acordo, ele se torna um piloto a ser disputado para a temporada de 2022 e uma das melhores equipes do grid está à procura de um companheiro para Fabio Quartararo. Portanto, essa mudança repentina pode acabar por vir a interferir até na Superbike. Por suma, o nome de Franco Morbidelli é o favorito para assumir a moto do espanhol.

Por que Viñales decidiu deixar a Yamaha?

Embora o espanhol não estivesse tendo o rendimento esperado, seu contrato com a casa de Iwata ia até o final do próximo ano. No entanto, Viñales alegou não estar se sentindo confortável, pois sua evolução dentro da equipe não estava acontecendo. Porém, parte dessa situação pode ter a ver com Quartararo e seu início de temporada espetacular e o clima descontraído que reina no lado francês da garagem.

Advertisement

Ítalo-brasileiro no radar

Franco Morbidelli, vice-campeão do mundo em 2020, é o favorito para guiar a Monster Yamaha em 2022. Desse modo, haveria um reencontro entre a dupla. Isto é, em 2019 e no ano passado, eles andavam juntos na Petronas SRT, equipe satélite da casa de Iwata. Porém, o italiano Andrea Dovizioso também tem seu nome ventilado, embora com menos força, já que ele seria uma opção de experiência para guiar a M1.

Petronas buscará uma nova dupla de pilotos

A princípio, com a saída do ítalo-brasileiro para a Yamaha de fábrica, abre uma vaga na Petronas. Além disso, há a questão Valentino Rossi, com a sua provável aposentadoria, as duas motos da equipe do Razlan Razali estariam vagas. Com isso, a tendência é que se procure um piloto mais experiente e uma aposta. Para o lado da experiência, nomes como Andrea Dovizioso e para a surpresa de muitos, Jonathan Rea, o hexacampeão do mundial de Superbike com a Kawasaki. No entanto, o britânico já teve uma passagem na MotoGP, substituindo Casey Stoner na Repsol Honda em 2012, terminando as duas corridas que disputou no Top8.

Além disso, nomes como Marco Bezzechi, Garrett Gerloff, Jake Dixon (com menos força, devido o fraco rendimento nessa temporada da Moto2) e uma das sensações do momento Raúl Fernández são competidores que podem vir a guiar uma M1 satélite no próximo ano.

De piloto para chefe de equipe?

Para 2022, já temos a confirmação de que a VR46 ao lado da gigante do petróleo Aramco formarão uma equipe satélite da Ducati. Com isso, uma grande questão que ronda as garagens do mundial, quem será o companheiro de Luca Marini? Desde já, o favorito para a vaga é o seu antigo companheiro na Moto2 Marco Bezzechi, Porém, Valentino Rossi que é o dono do time ainda não anunciou sua aposentadoria, será que o italiano pretende correr em 2022 ao lado do seu irmão?

Gresini e sua dupla italiana

Outra equipe nova para essa temporada, a Gresini optou por ser uma moto satélite da Ducati após se desligar da Aprilia. Mesmo com a morte do saudoso líder da marca que leva seu sobrenome, os filhos de Fausto assumiram a função do e juntaram dois pilotos talentosos para o próximo ano. Enea Bastianini vem fazendo um início de carreira promissor dentro da MotoGP na equipe Avintia, que irá se tornar VR46 Aramco. Enquanto isso, Fabio Di Giannantonio havia firmado um contrato na metade de 2020 que lhe garantia uma vaga na categoria rainha para 2022.

Remy Gardner traz sobrenome campeão de volta para a MotoGP

O filho do campeão mundial Wayne Gardner irá andar de KTM Tech3 na próxima temporada. Além disso, o atual líder da Moto2 é o único garantido dentro da equipe. Danilo Petrucci ainda não se adaptou a moto, alegando que ela é pequena para um piloto do seu porte. Em seguida, temos Iker Lecuona, que é uma aposta do chefe de equipe Hervé Poncharal, ainda não conseguiu desenvolver o seu potencial, embora esteja na sua segunda temporada na categoria. Outro nome que pode vir a aparecer é Raúl Fernández, companheiro de equipe do Remy e vice-líder do campeonato intermediário.

Para onde vai Maverick Viñales?

A situação do espanhol é um caso diferente, pois ele alega não estar tão motivado em relação a si mesmo desde quando migrou da Suzuki para a Yamaha. Portanto, a Ducati já negou que possa vir a buscar os serviços de Viñales. No entanto, logo que surgiu a notícia que ele estava deixando a casa de Iwata, seu nome começou a ser fortemente veiculado na Aprilia. A equipe italiana busca um companheiro para Aleix Espargaro, que vem mostrando uma grande evolução da sua RS-GP. Porém, Andrea Dovizioso vem testando a moto de Noale desde o início do ano, desse modo, se tornando um candidato forte para a próxima temporada.

Grid para 2022

Dessa forma, o grid tende a sofrer muitas mudanças para o próximo ano. Aliado a isso, outras podem vir a ocorrer, já que informações vindas da Espanha alegam que o atual campeão do mundo Joan Mir poderia estar descontente com o atual rendimento da Suzuki dentro do mundial. Em síntese, a MotoGP mostra que muitas hipóteses podem ocorrer para a próxima temporada, sendo que muitas dessas dúvidas, podem ser resolvidas até o final das férias.

Foto Destaque: Divulgação/Dorna

William Freitas

Cyber


Related Post