Japão

Antes de mais nada, vale lembrar que o Japão não é reconhecido mundialmente como um destino de surf. No entanto, o país foi agraciado com a honra de ser o primeiro a sediar um evento da modalidade nas Olimpíadas. Os japoneses terão quatro representantes na modalidade.

A GRANDE ESPERANÇA DE MEDALHA

Mesmo disputando em casa, o Japão está longe de ser um dos favoritos a conquistar medalhas no surf. Já que, o país não é conhecido pela quantidade de surfistas de primeira linha que produz. Mas, nos últimos anos isso vem mudando graças a Kanoa Igarashi, um jovem de apenas 23 anos. O atleta carrega as esperanças de pódio para os locais.

Advertisement

Igarashi vem mostrando uma grande evolução no ranking mundial de surf desde que se juntou Championship Tour em 2016. Depois de  depois de terminar em 17° em 2017 e 10° em 2018, o atleta conseguiu mostrou potencial ao conseguir o 6° 2019. Assim, os japonese acreditam que disputando em casa o surfista possa conquistar alguma medalha para o país.

MASCULINO

Além dele, Hiroto Ohhara de 24 anos também vai representar o país no masculino. Apesar de ser mais velho do que Igarashi, Ohhara é muito mais inexperiente do que seu companheiro. Já que, só participou de três competições de nível profissional em sua carreira. Por isso, é difícil imaginar que ele será capaz de disputar com os melhores surfistas do mundo.

Porém, o japonês tem um trunfo na mão. Já que, é sem dúvidas o surfista que mais conhece o mar onde será disputado as Olímpiadas. Afinal, ele nasceu e cresceu muito próximo da Praia de Tsurigasaki.

FEMININO

No feminino as jovens Mahina Maeda e Amuro Tsuzuki, que se classificaram através dos ISA World Surfing Games também representarão o país. Com pouca experiência, a dupla dificilmente subirá ao pódio nestas Olímpiadas. No entanto, vale a pena ficar de olho em Tsuzuki. Afinal, a jovem de 20 anos mostrou muito talento nas classificatórias.

Foto destaque: Reprodução/Getty images

João Marcelo Felix on Email
mm
Meu nome é João Marcelo, paulista de 20 anos, sou estudante de jornalismo do 6º semestre da UnicSul. Tenho como foco o jornalismo esportivo e dentro dele o futebol é o que mais chama a minha atenção. Quando eu era criança meu sonho como de muitos era ser jogador de futebol, ao longo do tempo vi que meu lugar não era dentro de campo e sim fora, então decidi unir minhas duas paixões: escrever e futebol, para me tornar um jornalista esportivo.

Related Post