Leo Santin

O técnico Leo Santin treinou uma equipe de iemenitas na Copa do Iêmen, no estado do Alabama, nos EUA. A saber, ele é protagonista no comando de equipes do United Soccer Club. Assim, como regra da copa, cada equipe pode contar com até três estrangeiros, de qualquer nacionalidade, no elenco.

A princípio, o Iêmen é um dos mais pobres entre os países árabes. Atualmente, há aproximadamente seis anos, vive uma grave crise humanitária decorrente de uma violenta guerra civil. Além disso, muitos iemenitas buscam uma vida melhor, e muitos deles imigram para os Estados Unidos. Nova Iorque, Michigan e Califórnia possuem um enorme número destes estrangeiros. E, assim, esta população organiza, anualmente, a Copa do Iêmen, que, neste ano de 2021, teve início no último domingo (27).

Advertisement

Orgulho pela oportunidade

“É uma honra para mim poder comandar a equipe de iemenitas que representa o estado do Alabama nesta competição. Um desafio e tanto para a minha carreira e uma resposta positiva do que venho aplicando no meu trabalho. Comecei os treinamentos em março deste ano, e fomos muito bem na competição, paramos nas quartas de final, mas esse alcance é inédito para a história da equipe, e isso me faz sentir muito orgulho”, comenta Leo.

Nas quartas de final, sua equipe foi eliminada da competição, para os representantes de Michigan, um dos favoritos ao título, na última terça-feira (29). Os comandados de Leo Santin tiveram a melhor campanha da história no torneio.

“Tínhamos grande chance de chegarmos até a final, mas pegamos um time muito forte, inclusive, favorito a levar a melhor no jogo de hoje que encerra a Copa. As equipes estão bem treinadas, não tinha jogo fácil, o estilo de jogo aqui é diferente do praticado no Brasil, é pegado, truncado, e em pouco tempo tentei impor um estilo mais técnico”, disse.

“A Copa é uma competição de mata-mata, não tem essa de soma de pontos, então é jogar cada partida como se fosse a final, e é isso que tentei passar para a minha equipe. No jogo das quartas tivemos jogador expulso, e com o time aberto, foi bem difícil segurar”, completou.

Relação de Leo Santin com o Brasil

Leo comenta sobre sua relação com os jogadores e o quanto eles amam o Brasil.

“Os caras amam o Brasil, sempre comentam sobre o nosso futebol, tivemos uma relação muito bacana com todos eles e vi o interesse de cada um quando estava explicando técnica, tática e o que queria que apresentassem dentro de campo”, conclui.

Foto destaque: Divulgação/YASA

Matheus Henrique Petolini
Escolhi fazer jornalismo em virtude da paixão pela comunicação, especialmente quando falo sobre futebol. Fiz estágio colaborativo na Premier League Brasil (03/2020 a 02/2021), para a editoria de Instagram. No momento, me vejo aberto para variadas opções dentro do jornalismo. Mas, com toda certeza, tenho o sonho da especialização em jornalismo esportivo. Gosto de novos desafios, pois são essenciais para o desenvolvimento de qualquer profissional. Logo, me vejo como uma pessoa bastante colaborativa e democrática, no campo das ideias e debates.

Cyber


Related Post