Unión Española na Libertadores 1975

A coluna Alma Roja de hoje é sobre a Unión Española, equipe de Santiago, no Chile, que se destacou na edição de 1975 da Copa Libertadores da América. Em campanha inesquecível, os Hispanos, comandados pelo técnico Luis Santibáñez, alcançou a final, e protagonizou duelos de tirar o fôlego contra o até então, tricampeão da América, o Independiente, da Argentina.

Advertisement

INÍCIO DA AVENTURA NA LIBERTADORES

Os Hispanos chegaram à Libertadores de 1975 após o vice-campeonato da 1ª divisão do Chile em 1974. Na ocasião, o título ficou com o Huachipato, equipe de Talcahuano. 

Na primeira fase do maior torneio de clubes da América, os chilenos tiveram pela frente os compatriotas do Huachipato, e os bolivianos do The Strongest e Jorge Wilstermann. Dessa forma, os clubes se enfrentavam entre eles em duelos de ida e volta. Contudo, apenas o 1º colocado da chave passava adiante. 

A fase de grupos para a Unión Española foi marcada por invencibilidade e protagonismo. Os Hispanos somaram nove dos 12 pontos disputados. Assim, os chilenos venceram os três compromissos jogando em casa, todos eles com goleadas sobre os rivais. Em contrapartida, como visitante, três empates. Na época, a vitória valia dois pontos, enquanto o empate valia um. 

Ainda na primeira fase, a ilustre equipe hispana compartilhou o posto de melhor defesa junto com o Rosário Central,  da Argentina, e o Deportivo Cali, da Colômbia, com apenas cinco gols sofridos. Além disso, os feitos não pararam por aí. A equipe também alcançou o melhor ataque da primeira fase, com 17 gols marcados. O destaque, certamente, fica por conta de Alejandro Trujillo, artilheiro dos Hispanos.

O SONHO SEGUE VIVO

Com o 1º lugar do grupo assegurado na fase inicial, os Rojos de Santa Laura se qualificaram para a fase final da competição. Posteriormente, a semifinal do torneio contava com seis equipes distribuídas em dois grupos. Na qual os campeões de cada chave vão à grande final. Nesta fase, o Independiente, campeão da edição do ano anterior, fez sua estreia. 

A Unión Española caiu no grupo com a Liga Deportiva Universitaria de Quito, a LDU, além do Universitário, equipe peruana. Os jogos são entre eles, ida e volta. Os Hispanos bateram em casa as duas equipes e se manteve invicta como mandante. Entretanto, fora de casa, o clube foi derrotado pela LDU e empatou com o Universitario, em Lima. 

Passados os confrontos, a Unión Española somou cinco pontos, com duas vitórias, um empate e uma derrota. Desse modo, com essa pontuação, a equipe obteve a liderança do grupo e se classificou às finais, contra o poderoso Independiente.  

OS DUELOS VALENDO A GLÓRIA ETERNA

O dia histórico aconteceu em 18 de junho de 1975. Data do primeiro confronto da final da Copa Libertadores, no estádio Nacional, em Santiago, com mais de 65 mil pessoas presentes. 

A noite marcou um encontro equilibrado, com chances criadas pelas duas equipes. O duelo caminhava para um empate. No entanto, Ahumada, em chute de fora da área, abriu o placar para os Hispanos aos 42 minutos do 2º tempo, levando os torcedores à loucura. A partida terminou 1 x 0 para os chilenos. 

Na volta, em Avellaneda, bastava um empate para a Unión Española se sagrar campeã continental, pela primeira vez. Entretanto, não contava com noite inspirada da equipe argentina, que fez uma partida de imposição e venceu por 3 x 1.

O resultado, em favor do Independiente, igualou o confronto. Com uma vitória para cada lado, um terceiro jogo foi marcado, em campo neutro, para decidir o campeão. O palco escolhido foi o estádio Defensores del Chaco, em Assunção, no Paraguai.

O CAPÍTULO FINAL 

A expectativa era grande para o confronto decisivo na capital paraguaia. Porém, logo após o apito inicial do jogo, os argentinos mostraram superioridade durante toda a partida. Logo aos 29′ do 1º tempo, Ruiz Moreno abriu o placar para o Rey de Copas. Em seguida, na volta do intervalo, Bertoni ampliou o marcador para o clube de Avellaneda e deu números finais a partida.

Para a Unión Española, fim do sonho de se tornar campeão continental. Por outro lado, o Independiente, manteve a hegemonia, com o tetracampeonato seguido da Libertadores e o sexto título no total. 

EQUIPE MARCADA NA HISTÓRIA

Por fim, o título não veio, mas a campanha da Unión Española na Libertadores de 1975 está marcada para sempre na história. Portanto, a equipe de Palácios, Gaete, Trujillo, Maldonado e companhia encantou o continente e quase se tornou o primeiro chileno campeão da Libertadores.

Foto destaque: Divulgação / Unión Española

mm
Olá, me chamo William, tenho 23 anos e sou jornalista formado pela Universidade Anhembi Morumbi. Sou apaixonado por esportes e desde pequeno sonhava em ser jogador de futebol. Como não alcancei esse sonho, encontrei no jornalismo um caminho para estar mais próximo do que amo fazer, falar sobre esporte, especialmente futebol. Sou criador de conteúdo, já fui redator e desenvolvi projetos para clínicas na área da saúde. Estagiei na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, como assessor de imprensa.

Related Post