Vic Albuquerque e Adriana

Antes de tudo, no último domingo (26) o Corinthians enfrentou o Palmeiras na final do Campeonato Brasileiro. Bem como, o clube paulista sagrou-se tricampeã da competição e levou o título. Logo, Vic Albuquerque e Adriana foram responsável por 40% dos gols do Brasileiro. Além disso, em relação ao valor dado ao clube feminino pela conquista foi 113 vezes menor da Serie A do masculino.

Protagonistas

Antecipadamente, Vic Albuquerque e Adriana se consagraram protagonistas da equipe paulista. Ademais, a dupla foi responsável por 40% dos gols. Bem como, o time comandado por, Arthur Elias, fechou o campeonato com 64 gols marcados. Em suma, a atacante Adriana tem 16 jogos, enquanto, Vic tem 18. Além disso, a camisa 17 foi eleita a craque do jogo no Dérbi, com um golaço de bicicleta.

Advertisement

Por outro lado, Adriana recebeu o troféu de melhor da final. Entre gols e assistência a participação das duas foi essencial para o plantel. Com a saída de algumas atletas durante a temporada, a dupla assumiu um papel importantíssimo na equipe. Mas também todas, sem exceção, marcaram a história do clube alvinegro ao levantar a taça do Brasileirão 2021.

Premiação da competição foi 113 vezes menor que da Série A masculino

Campeãs do Campeonato Brasileiro ao vencer o Palmeiras por 3 x 1 recebeu o valor de R$ 290 mil pela conquista. O valor é de 110 mil superior ao do ano passado. No entanto, representa apelas 0,87% da quantia da equipe masculina que vencer a Série A nesta temporada. Bem como, o time que levantar o caneco recebe R$ 33 milhões.  Com isso, o valor que o feminino recebe em relação ao masculino é 113,8 menor.

Em síntese, os números se justificam pela diferença do apelo comercial. O Brasileirão masculino é alvo de milhões de reais em compra de transmissão e patrocinadores. Enquanto, o feminino fica com quantias inferiores para a sua realização. Contudo, essa diferença escancara a desigualdade de  gênero na mesma modalidade.

Foto Destaque/Reprodução: Rodrigo Gazzanel/Ag.Corinthians 

Gabrielle Sena
Escolhi o jornalismo por que eu sempre tive paixão pelas palavras. Desde muito nova eu escrevia sobre tudo e de alguma forma eu sentia que era ouvida. Sou Gabrielle Sena, tenho 22 anos, moro na capital de São Paulo, jornalista e atualmente faço pós-graduação em Jornalismo Esportivo. Eu sempre quis ser escritora, entrei no jornalismo para poder aperfeiçoar minha paixão. Durante a faculdade escrevi um livro reportagem sobre Mães Narcisistas, entrevistei 20 mulheres de todos os lugares do país e contei as suas histórias. Escrever um livro foi a minha maior conquista.
O Esporte me faz sair da minha zona de conforto. Sou muito persistente com o que eu quero e me esforço 100%. Meu objetivo é crescer como jornalista e continuar me desafiando todos os dias.

Cyber


Related Post