Renato Augusto Giuliano

Neste domingo (15) o Corinthians recebeu o Ceará em partida válida pela 16º rodada do Campeonato Brasileiro. Levando a vitória por 3 x 1, o Timão conquistou os três pontos e foi para o 11ª lugar da tabela. A princípio, a partida contou com a reestreia do meia Renato Augusto, No entanto, como o camisa 8 e Giuliano podem jogar junto? Cabe o Luan?

Renato Augusto e Giuliano: como podem jogar junto?

Antes de tudo, Renato Augusto e Giuliano foram contratados recentemente. Os reforços animaram a torcida, pois até então o clube paulista passava por uma má fase na competição. No último domingo (8), o Corinthians enfrentou o Santos e o camisa 11 estreou pela primeira vez. Em síntese, Giuliano fez quatro dribles, dois desarmes e sofreu apenas três faltas. Em seguida, o atleta acertou duas bolas longas e criou uma chance de gol, perdida por Gustavo Mosquito.

Advertisement

Na partida contra o Ceará, Giuliano e Renato atuaram pela primeira vez juntos e pode-se dizer que os dois se complementam. Com inteligência e qualidade, os atletas conseguiram marcar o terceiro gol do duelo. Giuliano joga mais à frente, nos espaços que a marcação deixa. Gosta de receber, girar e já correr para a área. Já Renato atua mais atrás, organizando o jogo justamente para quem faz o papel de Giuliano.

Ainda na partida contra o time cearense, foi possível ver como os dois conseguem manter equilíbrio nas jogadas, no passe. O camisa 11 consegue deixar facilmente Augusto de cara pro gol. Giuliano, que recebeu a bola de Mosquito, conseguiu lançar em um passe curto para o camisa 8, marcando um golaço.

Os dois jogadores possuem muita qualidade técnica, leitura, qualidade e o principal jogadas em grupo. Contudo, o trabalho dos dois meias pode e devem ser mantidos, pois assim o Corinthians só tende a ganhar. Por outro lado, novamente Luan acabou ficando no banco. A princípio, o atleta pode contribuir mais ainda jogando com os meias?

E O LUAN?

Antes de tudo, foi o 4º jogo consecutivo que o Luan não saiu do banco de reservas. O meia somente assistiu a 102 minutos contra o Cuiabá, 94 contra o Flamengo, 99 contra o Santos e os 97 da partida de domingo, contra o Ceará. Sua última participação, aliás, foi por apenas nove minutos, na derrota por 2 x 1 para o Atlético-MG, no dia 17 de julho.

A princípio, o atleta começou como titular com Tiago Nunes, mas aos poucos foi perdendo espaço. Manteve-se em baixa com Coelho e em boa parte do trabalho de Vagner Mancini.

Ontem, Sylvinho Campos, concedeu uma coletiva pós jogo e falou sobre o caso do atleta. Sem delongas o técnico considerou utilizar Luan como falso nove, como já foi feito em outras oportunidades. De qualquer maneira, são apenas projeções, e o jogador pode voltar a aparecer escalado no meio de campo se necessário, até porque Renato Augusto ainda não está na condição física ideal.

“O Luan teve um processo conosco muito bom, de um falso nove, é um atleta que tem muita mobilidade, qualidade técnica, boa conexão de jogo no meio de campo. Por isso, é importante ele jogar com atletas que ele conhece, de boa qualidade também. Em determinado momento, teve uma lesão, o assumiu um pouco esse nove reciclado, não falso nove, que tem nos dado bastante resultado. O Luan, com a qualidade que ele tem, pode voltar a jogar de falso nove ou de meio campo, onde ele rende bastante”, destacou Sylvinho.

Em suma, Renato Augusto e Giuliano podem contribuir melhor pra que Luan consiga balançar as redes. De certo que, o comandante ainda tem outros nomes como aposta. No entanto, com os novos reforços existem infinitas possibilidades que Sylvinho pode apostar, dar oportunidades e melhorar a qualidade técnica.

Possíveis escalações com Luan

4-3-2-1

4-4-2 Um pouco mais perto de Renato Augusto e Giuliano

Foto Destaque: Reprodução/Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Gabrielle Sena
Escolhi o jornalismo por que eu sempre tive paixão pelas palavras. Desde muito nova eu escrevia sobre tudo e de alguma forma eu sentia que era ouvida. Sou Gabrielle Sena, tenho 22 anos, moro na capital de São Paulo, jornalista e atualmente faço pós-graduação em Jornalismo Esportivo. Eu sempre quis ser escritora, entrei no jornalismo para poder aperfeiçoar minha paixão. Durante a faculdade escrevi um livro reportagem sobre Mães Narcisistas, entrevistei 20 mulheres de todos os lugares do país e contei as suas histórias. Escrever um livro foi a minha maior conquista.
O Esporte me faz sair da minha zona de conforto. Sou muito persistente com o que eu quero e me esforço 100%. Meu objetivo é crescer como jornalista e continuar me desafiando todos os dias.

Related Post